terça-feira, 7 de outubro de 2014

Resenha: Filhos do Fim do Mundo - de Fábio M. Barreto

Filhos do Fim do Mundo

Fábio M. Barreto

Fantasy - Casa da Palavra


Sinopse: Meia-noite. A notícia se espalha e deixa o mundo em pânico: todos os bebês recém-nascidos e de menos de 1 ano de idade morrem misteriosamente. Como se não bastasse, a informação sobre plantas e animais mortos também se espalha. Agora, todos se separam com a promessa de escassez e o inevitável pensamento de que o fim da humanidade está próximo. Rodeado por desanimadoras notícias está o Repórter, convocado pelo único jornal em circulação para cobrir as revoltas populares que desencadearam uma verdadeira guerra civil. Em meio a tanto ódio, ele só tem uma missão em mente: atrasar ao máximo o parto da esposa grávida na esperança de evitar a morte do próprio filho. 

Resenha

Sabe aqueles livros que você termina de ler e precisa, melhor dizendo necessita, falar sobre com alguém? Então, esse é um desses livros. Filhos do Fim do Mundo narra a estória de um repórter, do Repórter. Uso a letra maiúscula para descrever o personagem, não por ser o cara, e sim porque assim ele é descrito no livro. Esse livro tem esse diferencial, o autor optou por não usar nomes próprios, os personagens são identificados como Repórter, Esposa, Diretor, etc. Essa foi a primeira vez que li um livro usando esse tipo de denominação para identificação dos personagens, não sei se existe mais algum assim, mas o que eu sei é que eu amei! Quando você pára para analisar, realmente, um nome é uma coisa insignificante.
Voltando para a estória, o Repórter acorda em um não tão belo dia para descobrir que todos os bebês com menos de 1 ano de idade morreram no mundo todo. E que desde a meia-noite, todos os bebês que nascem, morrem logo em seguida. E isso não é tudo, esse fenômeno está atingindo todas as formas de vida, animais e plantas com menos de 1 ano de vida também morreram. 

"Os olhos da Plantonista de Emergência estavam paralisados. Arregalados. Aterrorizados. Resultado da mescla da preparação na Academia com a resposta aos gritos arrasadores do outro lado da linha. O identificador de chamadas mostrava a origem da ligação: o hospital local. Ela tentava falar, mas não conseguia. Simplesmente ficou muda e imóvel.
(…) o Delegado de Plantão ficou perplexo com a postura de sua colega. (…) Ele puxou o telefone de apoio para atender uma das linhas, mas seu telefone celular tocou no mesmo instante.
(…) Segundos depois de atender, o terror tomou conta de seu semblante. Lágrimas molhavam a face que se contorcia em desespero. Sua mulher berrava. Ele tinha um filho, um garoto sorridente, gordinho e bonachão de nove meses de idade.
Tinha.
Sua mulher e a Enfermeira gritavam a mesma coisa.
Seu filho estava morto.
Todas as crianças da maternidade estavam mortas. Todas.
Atrás dele, o relógio marcava meia-noite e cinco minutos. A luz verde do calendário eletrônico brilhava com ar fúnebre. Eram os primeiros minutos do fim do mundo."

Como se isso tudo não fosse desesperador o suficiente o Repórter tem mais um problema para se preocupar, a sua Esposa está grávida e faltam poucos dias para o seu Filho nascer.

"Só conseguia pensar na Esposa e no Filho. Um arrepio esquisito subiu pela espinha. Não era hora de calafrios. Chegou ao carro e partiu a toda velocidade."

Para tentar impedir que o caos e pânico se alastre pelo mundo o governo derruba a internet e qualquer outro meio de comunicação, vôos comerciais são cancelados. Ninguém sabe o que está acontecendo e o governo quer impedir a situação piore. Então ele lança um plano de emergência, onde transmissões na TV, rádios e jornais são restringidas a somente poucas emissoras. Em troca disso o governo promete divulgar todos os fatos para a impressa, para que essas possam lançar suas notícias. 

"- Pelo que sabemos até agora, esse fenômeno foi registrado em todo o mundo. Não há mais recém-nascidos em nenhuma grande maternidade do planeta. Pelos relatórios iniciais, aparentemente, todos morreram. E a internet só vai aumentar o pânico, especialmente se mais alguma coisa acontecer… e acreditem, as chances são boas - a voz do Engravatado era neutra; semirrobótica. - Não podemos permitir que a situação deteriore e a coisa está feia o suficiente."

Mas é claro, que nem todos gostam dessa ideia dos militares controlarem tudo. Aos poucos o que começa como uma inquietação por não saber o que está acontecendo se torna em revolta contra o governo. Agora a população se tornou uma bomba relógio, prestes a explodir pela falta de esperança. E aqueles boatos que no dia anterior seriam vistos como maluquices sem sentido, começam a ser encarados como verdades incontestáveis. Aparentemente o fim do mundo chegou.

"- É O FIM DO MUNDO! OS FIÉIS SERÃO ARREBATADOS! O SENHOR NÃO NOS ABANDONOU!
Dessa vez, era ela quem estava errada. E muito."

O Repórter por sua vez recebe uma missão especial. Ele precisa visitar certos bunkers sobre os quais ele havia feito uma reportagem. Da noite para o dia, os malucos que acreditam no apocalipse já não parecem tão malucos assim…
Então agora o Repórter deve deixar a sua Esposa para trás e correr contra o tempo para tentar encontrar uma forma de salvar a humanidade, e principalmente, salvar o seu filho.

"- Os abrigos que vou visitar foram isolados hermeticamente, meu amor! - explicou. - Então, se isso aconteceu por causa de alguma coisa no ar, pode ser que os bebês e crianças que estavam ali não tenham sofrido os efeitos. E vamos saber como salvar nosso filho.
Os olhos brilhavam. Era muito mais que a luz no fim do túnel. Era sua única chance de salvar a vida do filho."

Se eu fosse resumir esse livro em uma única palavra, essa palavra seria "tenso". Já vi o nosso mundo ser destruído de diversas maneiras através de inúmeros livros. Mas ler isso acontecer a cada passo, a cada decisão e loucura foi bem diferente. Dá uma agonia e um ódio ver como a nossa sociedade é facilmente destruída. É de se pensar que com tantos filmes e livros sobre o assunto, se/quando isso ocorrer nós estaremos preparados. Mas eu acho que nós seguiremos exatamente o caminho descrito nesse livro. Vão surgir lunáticos com teorias de conspiração, e vão ter mais lunáticos ainda para seguí-los. Vão existir os oportunistas, os egoístas, os extremistas. Creio que o livro foi fantástico em mostrar como as piores características do ser humano surgem quando a esperança morre.
Eu sempre achei a capa do livro inquietante e essa sensação aumentou após ter iniciado a leitura. Esse cenário de um subúrbio pacato só esperando pelo fim. A Fantasy sem dúvidas leva em consideração o conteúdo do livro na hora de escolher a capa e nunca decepcionam. Para a alegria de todos, as páginas são amareladas, seus olhos podem respirar aliviados (nem vou levar em consideração o quão esquisita foi essa frase…).
Dizer que recomendo o livro é pouco, dei cinco estrelas e ele está devidamente na minha lista de favoritos. Não deixem de ler! Mais um autor brasileiro provando que nós temos sim livros de qualidade!

Classificação


Sobre o autor

Fábio M. Barreto é escritor, jornalista e cineasta. Criado nas redações de O Estado de S. Paulo e Jornal da Tarde, dedicou a carreira à indústria do entretenimento. Trabalhou e publicou conteúdo em grandes veículos de imprensa como Sci-Fi News, CNN e Brainstorm9. Entrevistou centenas de grandes nomes da indústria de Hollywood, de J. J. Abrams a Neil Gaiman, e foi um dos responsáveis pela criação da JediCon e criador do SOS Hollywood. Hoje é membro de um dos podcasts de cultura pop mais famosos da internet brasileira, o RapaduraCast. Atualmente, reside em Los Angeles, Califórnia.




9 comentários:

  1. Aí gente esse não é meu tipo de leitura no momento em que me encontro, confesso que já gostei muito desse tipo de leitura, mas a resenha está muito boa Parabéns Patrícia e a equipe do blog. Beijos a todos vocês.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caia em tentação, volte a ler… são muito bons!
      Bjs!

      Excluir
  2. Nossa Pati ! Adorei a resenha , achei super interessante o livro ! Parabéns
    xoxo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leia esse livro Steph, você vai gostar!
      bjs.

      Excluir
  3. Eu li esse livro já faz um tempinho e também amei.

    ResponderExcluir
  4. Valeu pelas palavras, Patricia! :D Fico feliz que tenha gostado!

    Bjs,
    Fábio M. Barreto

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada!!! Nossa eu realmente amei o seu livro, não conseguia parar de ler!
      Parabéns pelo livro maravilho e obrigada novamente, pelo livro incrível e por ter lido a minha resenha.
      Bjs!

      Excluir
  5. Acho a capa de livro fantástica. Eu estava de olho na obra e após ler sua resenha me empolguei.
    Parabéns para o autor e claro, pra você pela ótima resenha.

    Kelvin

    ResponderExcluir
  6. Obrigada! Você irá se empolgar ainda mais depois que começar a ler.
    Bjs.

    ResponderExcluir

Vamos ficar super felizes com seu comentário.
Já estamos até sentindo sua falta!
Volte logo tá?
Bjão
Equipe Cia do Leitor