quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Resenha: Prince of Thorns - de Mark Lawrence

Prince of Thorns
Trilogia dos Espinhos - Livro 1
Mark Lawrence
Editora DarkSide


Sinopse: Ainda criança, o príncipe Honório Jorg Ancrath testemunhou o brutal assassinato da Rainha mãe e de o seu irmão caçula, William. Jorg não conseguiu defender sua família, nem tampouco fugir do horror. Jogado à sorte num arbusto de roseira-brava, ele permaneceu imobilizado pelos espinhos que rasgavam profundamente sua pele, e sua alma.
O príncipe dos espinhos se vê, então, obrigado a amadurecer para saciar o seu desejo de vingança e poder. Vagando pelas estradas do Império Destruído, Jorg Ancrath lidera uma irmandade de assassinos, e sua única intenção é vencer o jogo. O jogo que os espinhos lhe ensinaram. 

Resenha

"As opções podem fugir de mim, mas fugir não é uma opção. Não para mim."

Prince of Thorns narra a estória de Jorg, um príncipe que foi obrigado a assistir ao brutal assassinato de sua mãe e de seu irmão mais novo. Enquanto tal crime ocorria, Jorg estava preso em um arbusto de roseira-brava sem conseguir se mover, com os espinhos cortando sua carne até atingir os ossos. Esse evento mudou completamente sua vida. Ainda mais quando a resposta do seu pai para tal ato não correspondeu às suas expectativas.

"Água! Água!" É sempre água o que os moribundos querem. Estranho. O que me dá sede é matar.

Então Jorg resolve que irá se vingar sozinho, mesmo sendo somente uma criança. Ele foge e sai por aí deixando um rastro de sangue para trás. Tudo o que importa para ele agora é ganhar o jogo, o jogo que ele aprendeu com os espinhos que o prenderam. Jorg não tem piedade de nada nem de ninguém, e não hesita em passar por cima de qualquer um para atingir aos seus objetivos.

Quinze anos! Se tivesse quinze anos não estaria devastando vilarejos.
Quando chegasse aos quinze, já seria rei!

Mas depois de 4 anos longe de casa, andando e matando por aí com uma irmandade de sujeitos bem simpáticos, Jorg resolve que é tempo de voltar e enfrentar o seu pai. Ele é afinal o príncipe herdeiro e tem direitos. Seu pai porém se casou novamente e a nova rainha está grávida. E para muitos seria muito conveniente se Jorg não existisse, assim a linha de sucessão estaria livre.

"Diga-me, tutor. A vingança é uma ciência ou uma arte?"

Jorg, é claro, é muito sutil em expressar a sua opinião sobre a nova rainha (#sqn). Ele agora irá mais do que nunca mostrar o quanto é apto para ocupar o trono. Nem soldados, fantasma, bruxos ou necromantes serão capazes de para-lo. Ele conseguirá a sua vingança regada a sangue e coitado do louco que entrar em seu caminho.

Tudo aquilo que você não pode sacrificar se torna um fardo. Transforma você em alguém previsível, fraco.

O mundo de Prince of Thorns parece ser um futuro pós-apocalíptico, onde após algum tipo de guerra, a civilização retornou para um tipo de idade média. Me lembrou os livros do universo de Shannara de Terry Brook, mas sem elfos e anões e com outras criaturas. Ao longo do livro você vai vendo indícios desse mundo antigo que parece tanto com o nosso mundo atual. Nesse novo mundo, o reino está fragmentado, sem um imperador e com guerras constantes entre aqueles que se julgam merecedores de tal título e poder.
E o que dizer sobre Jorg? Ah… tem algo de relaxante em uma estória com um anti-herói. Esqueça o moralmente correto e as difíceis decisões a serem tomadas. Jorg tem um objetivo e ponto. Azar de quem entrar no caminho. Jorg é maquiavélico e mesmo assim você não consegue evitar e acaba torcendo por ele. Você vai seguindo o personagem através de sua vingança, torcendo e vibrando por cada uma de suas vitórias. E pouco importa se ele é mau. Quem já leu o livro A Mão Esquerda de Deus e gostou, irá amar esse livro. A estória é narrada em primeira pessoa por ninguém menos do que o próprio Jorg e ele não te deixa com nenhuma dúvida sobre o seu caráter. 

É o silêncio que me apavora. A página em branco na qual posso escrever meus medos. Os espíritos dos mortos não tem nada a ver com isso. Aquele morto tentou me mostrar o inferno, mas não passou de uma pálida imitação do horror que sou capaz de pintar na escuridão de um momento quieto.

O ritmo desse livro é excelente também. Dizer que ele é viciante é pouco. Um dia será o tempo necessário para você ler o livro todo (experiência própria), você não conseguirá dormir sem saber o final. E quando terminar, você precisará do próximo livro. A estória intercala entre os eventos ocorridos quatro anos antes e no tempo atual.
Outro destaque absoluto é o livro em si. Acreditem em mim quando eu te disser que você deve comprar a edição de capa dura! A DarkSide se superou com essa trilogia, os livros são uma obra de arte. Capa dura e aveludada, papel grosso e de qualidade, acabamento gráfico lindo, etc. Acho que valia mais do que eu paguei, sinceramente. O livro garantiu o seu lugar na minha lista de favoritos! Eu já estou lendo o segundo e procurando o terceiro para comprar.

Guerra é uma coisa bela, eu já lhes disse antes, e aqueles que falam o contrário não sabem o que estão perdendo.

Classificação


Sobre o autor

Mark Lawrence é um escritor de dupla nacionalidade (americana e britânica). Ele é autor dos livros da Trilogia dos Espinhos (de nome original The Broken Empire). 
Lawrence nasceu nos Estados Unidos , mas ainda jovem ele e seus pais se mudaram para o Reino Unido. Ele trabalha como romancista e como cientista de pesquisa no campo da inteligência artificial e tem acesso liberado à informações secretas dos governos norte-americano e britânico. 
O primeiro trabalho de Lawrence foi Prince of Thorns, publicado pela Ace/Voyager em agosto de 2011 e foi finalista dos prêmios Goodreads Choice Award (como Melhor Livro de Fantasia de 2011), David Gemmell Morningstar Award de 2012.
Seu segundo livro King of Thorns, publicado em Agosto de 2012 na Inglaterra, foi de novo finalista do mesmo premio de 2012 da Goodreads, ficando na quarta posição de melhor livro.
Seu trabalho foi traduzido em 19 idiomas. E no Brasil, seus livros saem pela editora Darkside.


8 comentários:

  1. Oi Patrícia, é muito bom quando um livro nos empolga deste jeito!
    A gente se sente fazendo parte da história, se envolve e isso é o que há de melhor na leitura.
    A história parece ser interessante, e bem eclética, mas não me senti atraída para a leitura.
    Espero que o segundo seja tão bom quanto este, e que você curta muito.
    Bjus
    Lia Christo
    www.docesletras.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quem sabe, a estória pode te surpreender!
      Bjs.

      Excluir
  2. Olá Patrícia, que capa fantástica essa! Só por ela já ganha a minha atenção.
    Muito massa a historia, sua resenha me deixou ansioso pra conhecer o livro. Já incluindo nos meus desejados.
    Excelente dica. Vlw
    Kelvin

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Algo me diz que você também irá amar.
      Bjs.

      Excluir
  3. Eu já comprei a trilogia linda e de capa dura, ansiosa pela leitura. Amei a resenha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não vejo a hora de poder conversar com você sobre ele.

      Excluir
  4. o trabalho da darkside é algo de encher os olhos, são sempre extremamente caprichosos. como se não bastasse a trilogia é daquelas que recebe elogio de george r. martin (o queridinho do momento) e já tem os três livros lançados (uma façanha, já que muitas vezes se lança o primeiro livro e ignora os leitores que se tornaram fãs de uma obra). com tantos adjetivos e com esta resenha de tirar o fôlego, cara Patrícia, bora colocá-lo entre meus desejos de leitura. parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Todos os elogios a essa trilogia são merecidos. Tanto referentes a estória quanto referentes ao livro.

      Excluir

Vamos ficar super felizes com seu comentário.
Já estamos até sentindo sua falta!
Volte logo tá?
Bjão
Equipe Cia do Leitor