quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Resenha - Simone Taietti - Uma vida para sempre

Uma vida para sempre

Simone Taietti
Editora: Talentos da Literatura Brasileira

Sinopse: Ethel diz estar morrendo. Contudo, não afirma isso apenas em razão de sua doença. Talvez a única certeza de nossa existência seja a morte, o fato de que ela chega para todos. Mas nem por isso deixa de ser a maior incógnita da vida.

Em um hospital, em meio à dor das histórias dos pacientes, Ethel encontrou amigos. Entre passeios em cemitérios, frequentando velórios e enterros de estranhos, ela tenta preparar a si e aqueles que ama, para o que parece estar ali tão próximo, o fim. Entretanto, não esperava enfrentar algumas surpresas que a fizessem duvidar de tal preparação.
As estatísticas ruins, a inexorável passagem do tempo. Onde reside a lógica disso que nos arranca pedaços, da súbita inexistência do que outrora era vívido e pulsante? Um corpo que jaz. Palavras que se perdem. A finitude de tudo o que é tão belo talvez seja a maior dor do mundo.
Uma vida para sempre é um compilado de desejos, pensamentos e dias. 
Quanto dura o para sempre?
Ethel descobriu.


Resenha

Quando vi esse livro no skoob como semelhante a alguns livros que eu amo e ainda com essa capa linda, fui saber mais sobre ele e vi que tinha lançado a pouco tempo, desde então ele entrou para minha wishlist, então entrei em contato com a autora para comprar o livro e ela ao saber que era blogueira me cedeu gentilmente um exemplar para leitura, assim que ele chegou comecei a leitura e com grandes expectativas.

Logo ao começar a leitura me deparei com a protagonista falando do seriado 1 litro de lágrimas, que foi baseado em um livro que amei e também citação de vários filmes e livros de histórias que amo e isso já me cativou de cara.
"Dizem que o tempo cura as feridas, mas eu não concordo muito com isso. Ele apenas ameniza, ao passo que a cicatriz continua ali, lembrando-nos de tudo."
O livro é narrado em primeira pessoa pela Ethel, uma adolescente de 17 anos adotada desde bebê e que tem uma doença muito incomum chamada CIPA (Insensibilidade congênita à dor com Anidrose), traduzindo ela não sente dor e também não transpira, alguns podem pensar que não sentir dor seria uma coisa boa, mas não é, pois sentir dor é o que transmite ao cérebro que alguma coisa não anda bem e se a pessoa não tem essa sensibilidade isso pode levá-la a morte por uma coisa até simples.
"Sempre fugimos da normalidade, mas só até o exato ponto em que percebemos que a normalidade provavelmente está atrelada aos melhores momentos de nossas vidas. Isso me lembra a pesarosa expressão "Eu era feliz e não sabia..."
Ethel pesquisa escondido de sua mãe sobre sua doença e descobre que as pessoas com sua doença não costumam ter uma vida longa e morrem ainda muito jovem. Ethel dá muito valor à vida e gostaria muito que as pessoas tivessem a consciência de aproveitar suas vidas como se fosse o último dia, porque na verdade nunca sabemos quando ele pode chegar.
"Eu preciso de alguém que me ajude a lutar e não que tente a todo momento me tirar da linha de frente da batalha."
Ethel quando ainda era criança já teve contato com a morte, quando seu pai morreu em um acidente. Ela não tem medo da morte e aprende a conviver com ela indo à enterros de estranhos, ela tenta preparar os que estão à sua volta para sua morte e não é muito bem compreendida. Novamente ela se deparou com a morte de uma pessoa querida quando uma criança que fez amizade no hospital faleceu de câncer, ela fica muito triste com a situação de uma criança não ter a oportunidade de crescer.  A partir desse momento que Vítor entra na trama e na vida de Ethel, um jovem de 19 anos, muito lindo de acordo com sua descrição ele também tem um sorriso que parece uma ponte capaz de fazer Africanos e sul-americanos dar as mãos, é muito fofo ela fazendo essa comparação.
"Seria muito irônico se nos apaixonássemos. Seria praticamente uma provocação. Seria como darmo-nos as mãos e começarmos a correr, fugindo da morte."
Mas como tudo não são flores e eles se conheceram dentro de um hospital, Vítor possui LMA (Leucemia Mileóide Aguda) de acordo com ele não é só ela que tem uma doença com uma sigla metida a besta (rsrsrsrs), mas ao que tudo indica ele vai fazer um transplante autólogo de medula e tem grandes chances de se curar. Mesmo que seja possível a cura de Vítor, Ethel não quer se envolver amorosamente por ninguém pois ela tem ciência que sua vida não será longa e o que o fim se aproxima, mas a pedido Vitor eles acabam se tornando amigos e ela estará sempre visitando-o.
"Há algumas coisas pelas quais simplesmente não vale a pena lutar. Às vezes percebemos que estamos empenhando esforços em coisas erradas e que não nos acrescentam em nada. Então é hora de desistir. E isto não é covardia. É perspicácia, para dizer a verdade."
Eithel só beijou um menino uma vez na vida, e quando ele conta como foi a experiência eu fiquei com meu coração partido, não vou contar como foi para não estragar a surpresa de vocês, e desde então ela se travou para encontros amorosos.
"Mas viver, meu amigo, é opcional. Você pode escolher se quer apenas se arrastar pela sua triste existência ou fazer algo de valoroso. Então, escolha e faça de uma vez, porque eu ainda acho que são sortudos aqueles que sabem quando vão morrer. Eles aproveitam. É preciso lembrar que a morte geralmente vem desacompanhada de aviso prévio." 
Vocês devem estar pensando que este é mais um sick lit de romance adolescente parecido com vários outros parecidos por aí, não, aliás eu sempre acho cada história e seus personagens únicos, neste caso temos uma doença nada comum onde iremos aprender um pouco sobre ela e um pedido de ajuda aos portadores de Leucemia que precisam de transplante de medula, aqui a autora explica a importância de ser um doador e como se tornar um e quem sabe ser escolhido para salvar uma vida. Quem nunca conviveu com ninguém que tivesse leucemia muitas vezes não tem a menor ideia de que pode ajudar e que não irão lhe arrancar nenhum órgão, o transplante é apenas um líquido que será extraído da sua medula caso seja um doador compatível, e para ser doador é apenas como doar sangue,o REDOME é um cadastro de medulas do mundo inteiro, você pode salvar uma vida que está do outro lado do mundo.
"Ao menos sou um prova viva de que uma vida sem dor não é o paraíso que a maioria das pessoas julga ser. Acho que isso as conforta de certa forma." 
Os personagens me cativaram muito, a Eithel com sua maturidade apesar de tão jovem, e também seu sarcasmo muitas vezes me levaram aos risos, o Vítor um jovem cativante que encontrou em Eithel a força que precisava para enfrentar as turbulências de uma leucemia, a evolução que Eithel conseguiu fazer em sua mãe e sua melhor amiga, na forma de elas encarem a vida foi muito linda.
"Não adianta de nada sentir pena e não fazer porcaria nenhuma."
O livro em muitas partes me emocionou muito por já ter perdido a minha irmã com leucemia, reviver uma história parecida sempre faz a gente voltar no tempo e acabar se emocionando mais do que quem nunca viveu, pois sabemos exatamente como é essa dor.
"Enquanto outras pessoas sonha, em se tornarem famosas, ficar ricas, ir à lua ou encontrar o amor de suas vidas, Vítor e eu, cada um a sua maneira, sonhamos apenas com um futuro, afinal, acho que a beleza dos sonhos não está somente em realizá-los, mas também em tê-los"
Terminei o livro chorando muito, e cá estou escrevendo essa resenha já com os olhos cheios d'água. Não tenho como expressar o quanto esse livro foi profundo para mim e tenho certeza que muitas pessoas que já leram também amaram muito esse livro de acordo com resenhas que já li, com certeza entrou para lista de livros preferidos.  
"Acho que amizade verdadeira mesmo é quando conseguimos ficar junto de uma pessoa em silêncio sem sentir qualquer constrangimento. É aquela m que um olhar representa e confidencia tudo. Eu precisa apenas dela ali, daquele mesmo jeito, do seu silêncio, dessa comunhão em meio às loucuras da vida. Essas loucuras que marcam tão profundamente."
A escrita da Simone é muito gostosa de ler, não dá vontade de parar de ler, marquei tantos quotes que nem sei se consegui colocar todos aqui. O livro é lindo demais tanto a capa quanto todo seu conteúdo, dá para ver o carinho e dedicação com que ele foi escrito em cada página.
"Como é confuso tudo isso. Uma hora alguém está aqui e em outra hora já não está mais. E não importa o quanto lidemos com a expectativa de morte todos os dias, ela sempre prega peças e nos arranca pedaços."
Recomendo muito a leitura a todos,uma linda de história de amor e com uma linda mensagem de amor ao próximo.

Classificação


Sobre a autora


Nasceu em 1994, ano em que o mundo perdeu Kurt Cobain e Ayrton Senna e em que Nelson Mandela tornou-se o 1º Presidente negro da África do Sul. 
Descobriu ainda no Ensino Fundamental sua grande paixão: a escrita. Tem preferência pelas histórias palpáveis, a inconstância da vida, aquilo que pode acometer qualquer um. 
Em 2011, foi uma das ganhadoras do 7° Prêmio Construindo a Igualdade de Gênero, na categoria estudante de Ensino Médio, concorrendo com 3.375 outros textos.
"Uma vida para sempre" é seu primeiro livro publicado.
Vive em Tangará – SC. É acadêmica de Direito na Universidade do Oeste de Santa Catarina. Divide seu tempo livre entre a escrita, leitura, estudos e os seriados de que tanto gosta.


17 comentários:

  1. resenha como sempre dez. mas esta me comoveu muito ,pois passei algo semelhante com minha irmã, pena q ela se foi, mas torço p/ ETHEL e VITOR vençam esta batalha, q o amor os salve, gostaria muito , mas muito ler este livro, bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leci, sua história então é parecida com a minha... tenho certeza que o livro irá tocar seu coração. Bjs

      Excluir
  2. Oi Dani, tudo bem?
    Sinto muito pela sua irmã. Fiquei emocionada com a história e com a paixão da sua resenha. Não conhecia essa doença, e como você mesma explicou, eu nunca imaginaria que não sentir dor é ruim e pode levar a morte. Eu aprecio muito autores que usam seu livros para levar ao mundo esses conhecimentos, pois aqui não é teoria, são vidas. Essas pessoas existem.
    Sua resenha ficou linda. De coração, ofereço uma prece pela sua irmã.
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá... obrigada pelas palavras....espero que goste do livro como eu. Bjss

      Excluir
  3. Danielle amei sua resenha, eu estava sem livros nenhum para ler no carnaval tinha até comprado "O Diário de Anne Frank " por falta de livros nacionais , agora e torcer
    que eu encontre nas livrarias para compra, depois aviso se consegui rsrs bjos em todos aí do blog.

    ResponderExcluir
  4. Caramba! Que livro é esse menina? Eu quero!
    Já me emocionei apenas com sua resenha, e pelo jeito chorarei litros se ler.
    Parabéns para a autora e para vocês também, por tanto carinho e emoção em uma resenha como esta, que nos transmite o que você sentiu com o livro.

    Beijão!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelas palavras Tainá, espero que se emocione também com esta bela história.

      Excluir
  5. Estava doida pra ler este livro, desde a primeira que o vi no site da Saraiva. Mas, sempre algo acontecia quando tentava fechar a compra algo acontecia. A internet caia, dava bug, meu cartão recusava. Enfim, ei de concluir essa compra!
    Adorei a resenha, amei os detalhes e toda a emoção que passaste pra nós leitores vorazes.
    Parabéns para autora também!
    Bjoca
    NI

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. vai conseguir comprar sim.... e vai amar a leitura

      Excluir
  6. Olá Danielle,
    Este livro não faz muito meu gênero, mas reconheço que fará de muita gente.
    Gosto de livros mais agitados, no entanto, minha namorada vai gostar de ser presenteada por esta obra.
    parabens pela resenha
    Kelvin

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Kelvin... espero que ela goste tanto quanto eu. Bjs

      Excluir
  7. Meu Deus! Eu ainda não conhecia esse livro. Nossa, eu realmente preciso ler!
    Já estou adicionando na minha lista de desejados e graças a sua resenha ele vai pular a frente de muitos outros.
    Sua resenha foi incrível, eu estou quase chorando sem nem ter lido o livro.
    Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa eu fiz tudo isso???? quase te fiz chorar.... não acredito... bjssss

      Excluir
  8. Que meigo, tanto a capa quanto a história :)
    boa resenha Danielle, parabéns.
    L

    ResponderExcluir
  9. A capa é um espetaculo mesmo.... E o conteudo também. Bjs

    ResponderExcluir
  10. Gostei do livro. A capa é simples e o tema chamou a minha atenção.
    Sério mesmo! Acho que todo mundo deveria analisar a vida e ver que temos saúde e outras pessoas, que não possuem, sabem dar mais valor que nós.
    Gostei da resenha!
    Parabéns!

    ResponderExcluir

Vamos ficar super felizes com seu comentário.
Já estamos até sentindo sua falta!
Volte logo tá?
Bjão
Equipe Cia do Leitor