quinta-feira, 2 de abril de 2015

Resenha: Emperor of Thorns - de Mark Lawrence

Emperor of Thorns
Trilogia dos Espinhos - Livro 3
Mark Lawrence
Editora DarkSide


Sinopse: O mundo está dividido e o tempo se esgotou completamente, deixando-nos agarrado aos dias finais. Estes são os dias que nos esperaram por todas as nossas vidas. Estes são os meus dias. Eu vou estar diante da Centena e eles vão ouvir. Vou tomar o trono, não importa quem está contra mim, se vivo ou morto. E se eu devo ser o último imperador, farei disso um final e tanto.


 Resenha
Há uma ladeira que desce em direção ao mal, com uma inclinação suave que se pode ignorar a cada passo, sem senti-la. É só depois de olhar para trás e ver a altura distante onde você morava que é possível entender sua jornada.
Estou nesse momento, escrevendo essa resenha, com uma baita ressaca literária. Sim, a Trilogia dos Espinhos chegou ao fim. Não, não sei como irei viver agora. Então não vou dar muitos detalhes nessa resenha. Já vou pedindo desculpas adiantadas para quem estava esperando uma resenha gigantesca. Esse livro sem dúvidas merece páginas e mais páginas sobre a minha opinião, mas prefiro me abster de escrevê-las para que vocês possam aproveitar cada segundo do livro, como eu aproveitei.
O cheiro de podre apenas nos relembra aonde nossos pés estão nos levando, não importa em qual direção eles apontem.
Emperor of Thorns se inicia com uma grande novidade (que não irei revelar! Muahahaha). Jorg está a caminho do Congresso para mais uma votação para escolher o novo Imperador. Obviamente, o normal seria imaginar que mais uma vez isso não dará em nada. Mas não é isso que Jorg parece pensar. Ele tem certeza que será escolhido como Imperador dessa vez. A situação também não está muito boa no reino, O Rei Morto está cada vez mais poderoso e ao que parece é só uma questão de tempo até que os mortos se espalhem por toda a terra com o seu reinado de morte e terror. Por sinal, os mortos não são o único terror que o Rei Morto está trazendo. Então a própria jornada de Jorg até a capital do Império poderá se provar extremamente perigosa, com ou sem guarda para protegê-lo.
As palavras são instrumentos cegos, mais apropriados para matar do que para fazer o mundo ter sentido.
E mais uma vez, a narração de Jorg é dividida entre eventos presentes e eventos de 5 anos atrás. Os eventos do passado dão continuidade ao que já foi mostrado no último livro. Jorg continua conhecendo mais do Império, se metendo em ainda mais confusão (na sessão da tarde) em situações mais do que suicidas. E essas narrações do passado fecham lacunas que foram deixadas em King of Thorns.
Esse livro nos mostra que muitos planos estão em ação, não são apenas o Rei Morto e os tais bruxos mexendo as cordas por trás dos panos. E agora, além de se preocupar com profecias e diversas visões do futuro, Jorg precisará decifrar o mistério por trás do passado dos construtores.
Nós não podemos ser aprisionados pelo medo. As vidas vividas dentro de tais paredes são apenas mortes mais lentas.
Uma outra novidade desse livro é a narração da Chella, a necromante. É interessante ver esse outro lado, assim com foi com a Katherine. E nesse caso, é ainda melhor por nos deixarmos ter deslumbres dos planos do Rei Morto.
O livro se encaminha para o encerramento de forma espetacular. Te prendendo a cada palavra, a cada virada de página. E o frio na barriga que você sente no início do livro vai lentamente se transformando em um ataque cardíaco conforme o fim se aproxima.
Não acho que alguém vá reclamar do final desse livro, mas garanto que você estará com um vazio no peito e um aperto no coração quando terminar de ler o endereço do site da DarkSide (não entendeu? Leia que você irá entender).
O que mais me conquistou nessa trilogia, além do sangue, foi a jornada do Jorg. Desde o garoto que viu sua mãe e irmão serem assassinados enquanto estava preso nos espinhos, até o homem que se encaminha para o Congresso com a certeza que será o Imperador, tendo a sombra do Rei Morto atrás de si. Se tornando algo que nem mesmo ele poderia imaginar.
Não deveria ser fácil trazer alguém a um mundo difícil. Já é fácil demais fazer uma nova vida, fácil demais tirar uma vida antiga. É apenas justo que alguma parte do processo apresente um pouco de dificuldade.
Então o que eu posso te garantir é, Mark Lawrence não irá te decepcionar. Sem dúvidas, essa trilogia valeu cada centavo e cada segundo. Uma estória que conquistou um lugar mais do que merecido na minha lista de favoritos e que me fará comprar todo e qualquer livro que o autor venha a lançar.
A edição desse livro foi mais uma vez uma obra de arte, ainda mais caprichada dessa vez, por sinal. Pois dessa vez as letras são douradas! Mais uma vez a DarkSide dá exemplo para as outras editoras do Brasil!
Então encerro essa resenha agradecendo a DarkSide por trazer esse livro maravilhoso para as terras tupiniquins, muito obrigada!!!! Eeeee…. vem por aí Prince of Fools, também pela DarkSide!!! Então podem esperar que mais uma obra de arte está chegando, a DarkSide irá lançar o primeiro livro, ao que tudo indica, no segundo semestre de 2015!
Quanto a mim? Bem, eu vou continuar por aqui, encarando o vazio, afundada em minha ressaca…
Pode-se dizer que a destruição e o desastre sempre vieram em meu encalço, mas nunca antes essa maldição havia sido tão evidente. Eu viajei a Vyene e o inferno seguiu meu rastro.
Classificação



Sobre o autor


Mark Lawrence é um escritor de dupla nacionalidade (americana e britânica). Ele é autor dos livros da Trilogia dos Espinhos (de nome original The Broken Empire). 
Lawrence nasceu nos Estados Unidos , mas ainda jovem ele e seus pais se mudaram para o Reino Unido. Ele trabalha como romancista e como cientista de pesquisa no campo da inteligência artificial e tem acesso liberado à informações secretas dos governos norte-americano e britânico. 
O primeiro trabalho de Lawrence foi Prince of Thorns, publicado pela Ace/Voyager em agosto de 2011 e foi finalista dos prêmios Goodreads Choice Award (como Melhor Livro de Fantasia de 2011), David Gemmell Morningstar Award de 2012.
Seu segundo livro King of Thorns, publicado em Agosto de 2012 na Inglaterra, foi de novo finalista do mesmo premio de 2012 da Goodreads, ficando na quarta posição de melhor livro.
Seu trabalho foi traduzido em 19 idiomas. E no Brasil, seus livros saem pela editora Darkside.



6 comentários:

  1. Oi
    Ainda não li o primeiro livro, mas já ouvi falar muito bem dessa trilogia. Vou colocá-la na minha lista de compras e assim que der vou colocar ela no meu carrinho ;)
    Beijinhos
    Renata
    Escuta Essa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A trilogia é maravilhosa, não deixe de ler.
      Bjs!

      Excluir
  2. Essa serie alem de ter capas lindas tem uma historia de revirar na cadeira.
    Depois dessa resenha então, empolgou demais pra ler.
    adorei!

    ResponderExcluir
  3. Toda a série me encantou pelas lindas capas. A história me prendeu de fato, mas sua resenha complentou o pacote. Foi um excelente marketing! Claro que já providenciei a compra. Não deu pra esperar mais.
    Parabéns pela resenha.
    Kelvin

    ResponderExcluir

Vamos ficar super felizes com seu comentário.
Já estamos até sentindo sua falta!
Volte logo tá?
Bjão
Equipe Cia do Leitor