terça-feira, 14 de abril de 2015

Resenha: Starling - de Lesley Livingston

Starling
Livro 1
Lesley Livingston
Editora Jangada


Sinopse: Mason Starling é campeã de esgrima da equipe da Academia Gosforth, mas nunca teve de lutar por sua vida. Não até a noite em que uma violenta tempestade sobrenatural assola Manhattan, aprisionando Mason e seus colegas de equipe dentro da escola. Mason é atacada por criaturas horrendas, com forma vagamente humana, mais aterrorizantes que os trovões e raios, enquanto a tormenta traz para a vida dela um perigoso desconhecido: um jovem que não se recorda de nada além de seu nome - Fennrys, o Lobo. A chegada desse garoto misterioso faz em pedaços o mundo de Mason, ao mesmo tempo que uma atração inegável surge entre eles. Juntos, eles tentam desvendar os segredos da identidade de Fenn, enquanto forças estranhas e sobrenaturais se adensam à volta deles. Quando descobrem que a família de Mason, com sua obscura ligação com antigos deuses nórdicos, é a chave de todo o mistério, Fennrys e Mason subitamente se veem diante de um futuro catastrófico: o Ragnarök - ou o fim do mundo, como o conhecemos.

Resenha

Mason é uma garota rica que estuda em uma escola de elite. Sua principal ambição é se tornar uma campeã de esgrima. Ela nunca teve ser preocupar com nada em sua vida, sendo a única filha de um pai milionário e super protetor. Ela tem outros dois irmãos mais velho, um com que ele se dá muito bem e outro de caráter duvidoso. A vida de Mason parece que vai correr sem grandes sobressaltos, porém tudo muda em uma noite. Mason, um dos seus irmãos, dois colegas e o professor ficam presos no ginásio durante uma tempestade, aparentemente normal, embora extremamente violenta.
Mason pensou ter ouvido a sirene de um carro de polícia por sobre o ruído da tempestade e se voltou para olhar pela janela. De repente, soltou um grito de terror e por reflexo se jogou para trás.
Mas essa tempestade esconde outra coisa. O que a princípio parece ser gritos do vento se revelam na verdade gritos de terríveis criaturas que estão correndo soltas fora do ginásio. Seres realmente assustadores e sedentos de sangue. E quando tais serem conseguem invadir o ginásio, ao que tudo indicava o destino de Mason estava selado. Ela iria morrer de uma forma terrível.
- Eu… - Agora que estava a salvo no chão, a horrível imagem voltou à mente. - Eu vi algo. No meio da tempestade. Era horrível, um rosto… só olhos e dentes, e gritando…
Porém, mais uma vez, tudo muda rapidamente. Pois do nada surge um estranho, completamente pelado, portando uma espada e matando as criaturas. Ninguém tem idéia de quem é esses estranho, assim como não sabem o que diabos são as criaturas. Mas isso parece irrelevante considerando que o cara parece um ninja com a espada e está salvando a vida deles. Mas toda essa experiência não passa sem deixar algumas cicatrizes, principalmente em Calum, amigo de Mason e paixonite secreta.
Os olhos já arregalados de Mason arregalaram-se ainda mais. O vulto pálido que ela vira alguns instantes antes no emaranhado do carvalho não era outro monstro.
Quando finalmente amanhece, o herói desconhecido, mas devidamente nomeado Fennrys, já desapareceu há muito tempo, tendo escapa enquanto todos dormiam. Então juntando os fatos de não haverem corpos das criaturas, Fennrys ter sumido e de toda a experiência parecer a mais completa loucura, todos decidem por contar uma mentira sobre o que realmente aconteceu, mesmo que Mason preferisse contar a verdade.
As coisas sempre parecem diferente sob a luz do sol, senho Fortier. Em alguns casos, a escuridão é melhor, mas não neste.
Mas sabe a Mason e seus amigos que isso é somente o começo. Como se tal evento tivesse despertado a visão deles, Mason e seus amigos vão descobrindo que o mundo não é exatamente do jeito que eles sempre enxergaram. E que a verdade sobre suas famílias e inclusive sua escola é mais complexa do que eles poderiam imaginar.
E enquanto cada um vai lidando com suas descobertas individualmente, Mason acaba se encontrando novamente com Fennrys e se vê a cada dia mais envolvida com ele. Pois ele, assim como ela, não sabe quem ele é, pois ele perdeu a memória. Então Mason começa a ajudá-lo, para que possa descobrir quem ele realmente é. 
Tá légal. Agora eu sep que estoc maluco, pensou Fenn.E então pensou: Corra!
Mas saber a verdade não será tão simples e tão pouco seguro. Pois existe uma profecia prevendo o fim do mundo e tanto Mason quanto Fennrys precisam descobrir os seus papéis nela, como de alguma forma eles estão ligados ao Ragnarök, o apocalipse da mitologia nórdica.
Aquelas imagens lindas de cartões com criancinhas gorduchas e peladinhos, com olhos vendados e flechas? Fala sério. Para mim, o cupido de verdade é algum adolescente psicótico, com óculos escuros e um taser.
Quando esse livro foi disponibilizado pela a nossa parceira Jangada, eu imediatamente me interessei pela estória. Mas não pensei que fosse gostar tanto do livro. Finalmente um livro com mitologia nórdica! E a melhor parte, embora o foco seja essa mitologia, outras mitologias se entrelaçam nessa estória.
O livro é envolto em mistérios, tanto em relação ao passado de Fennrys quanto a verdade sobre a família de Mason. A Manhattan de Starling lembra muito a Manhattan de Percy Jackson, cheia de criaturas fantásticas e deuses que os mortais não conseguem enxergar. O livro começa em um ritmo agitado que se mantém de forma quase constante até o final, sempre tem alguma coisa acontecendo. Ele estava tão bom que eu só me lembrei de fazer as minhas tradicionais marcações depois de já ter passado da página 100. Embora as principais narrações sejam da Mason e do Fennrys, existem pontos de vista de outros personagens, o que nos permite uma visão ampla do que realmente está acontecendo.
E não só de ação sobrevive esse livro, como podem imaginar, nós também temos romance e um quase triângulo amoroso. As cenas entre Mason e Fennrys são um misto de ação, comédia e romance. Gostei das narrações dos dois, para mim foram as mais interessantes devido a personalidades deles, existe um humor na dose certa.
O trabalho editorial do livro também está maravilhoso. Além da capa, que por si só já atrai olhares, a formatação do livro, como um todo, está perfeita. Fonte no tamanho certo, papel amarelado, eu realmente não tenho do que reclamar.
Como não poderia deixar de ser, o livro termina com um gancho para o próximo. Daquele tipo que faz com que você encha o saco da editora perguntando sobre o lançamento da continuação (se prepare Jangada!). Dei 5 estrelas para o livro e sem dúvidas eu o recomendo. Se você gosta de estórias repletas de mitologia ou se simplesmente gosta de romance, você amará esse livro. Então nem preciso dizer nada se você gostar de ambos.

Classificação



Sobre a autora

Lesley Livingston, escritora e atriz, tem mestrado em inglês pela Universidade de Toronto, onde se especializou em literatura arturiana e Shakespeare. É a autora da saga Wondrous Strange, que recebeu o Prêmio de Livro para Jovens Adultos da Canadian Librarian Association e foi nomeada "White Pine Honor Book". Leslie mora em Toronto, Canadá.













6 comentários:

  1. Olá Patrícia, essa sua resenha me prendeu e também me fez comparar o livro com um outro também da Jangada. "Fortaleza Negra", acho que foi por conta dessa mistura de mitologias e o sobrenatural. Enfim, me fisgou, gostei muito e vou correr pra comprar.
    Parabéns pela resenha.
    Kazumi

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amo mitologias, sempre que o livro tem essa temática, ele logo me conquista.
      Bjs.

      Excluir
  2. Massa!
    Muito diferente, um livro com uma temática muito diferente e bem atrativa.
    Ótima resenha!
    Kelvin

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo contigo. Sem dúvidas saiu do padrão da mitologia grega.
      Bjs.

      Excluir
  3. Já tinha gostado da capa, agora com a sua resenha eu quero o livro.....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que você gostar muito. Não deixe de ler.
      Bjs.

      Excluir

Vamos ficar super felizes com seu comentário.
Já estamos até sentindo sua falta!
Volte logo tá?
Bjão
Equipe Cia do Leitor