quinta-feira, 23 de julho de 2015

Resenha: Fragmentados - de Neal Shusterman - Editora Novo Conceito

FRAGMENTADOS
Neal Shusterman
Editora Novo Conceito


Sinopse: Em uma sociedade em que os jovens rejeitados são destinados a terem seus corpos reduzidos a pedaços, três fugitivos lutam contra o sistema que os fragmentaria .


Unidos pelo acaso e pelo desespero, esses improváveis companheiros fazem uma alucinante viagem pelo país, conscientes de que suas vidas estão em jogo. Se conseguirem sobreviver até completarem 18 anos, estarão salvos. No entanto, quando cada parte de seus corpos desde as mãos até o coração é caçada por um mundo ensandecido, 18 anos parece muito, muito longe.


Resenha

Fragmentados é um livro que despertou o meu interesse antes mesmo de chegar ao Brasil. Vocês não imaginam a minha felicidade quando descobri que seria lançado pela a nossa parceira Novo Conceito e que eu poderia solicitar o mesmo para resenhar. Mas, antes que eu me empolgue descrevendo o quanto eu gostei desse livro, eu vou falar sobre ele.

No futuro, talvez não tão distante assim, houve uma guerra conhecida como Guerra de Heartland, travada por dois exércitos, cuja única diferença entre eles eram seus ideais. A divisão foi basicamente Pró-Vida (contra abortos, etc) vs Pró-Escolha (a favor do aborto, etc). Qualquer semelhança com a realidade é mera coincidência, ou não. Enfim, depois de muitos anos de conflito inútil, para encerrar de uma vez com uma guerra que ninguém estava ganhando, eles decidiram por um acordo que fez todos perderem, pelo menos ao meu ver. E eu digo isso porque tal acordo destruiu a humanidade dos seres humanos. Tá achando drástico? Acho que você irá mudar de ideia em breve.
Você não pode mudar as leis sem antes mudar a natureza humana. 
Você não pode mudar a natureza humana sem antes mudar a lei.
O acordo foi o seguinte: abortos estavam a partir de então proibidos! Porém…. os pais poderiam fazer um aborto retroativo. Explicando, entre os 13 e os 18 anos dos filhos, qualquer pai poderia enviar os mesmos para a fragmentação. E aí que entra a parte da pegadinha que agradou aos dois lados, os pró-escolha conseguiriam o aborto que queriam. Aí você deve estar se perguntando, e os pró-vida? Bem, a fragmentação não é uma morte (imagina!), trata-se apenas de uma técnica muito nobre, onde uma criança é dividida em centenas de partes e 100% delas são reaproveitadas em outras pessoas. Ninguém morreria, apenas viveria separadamente. É… meus caros leitores, eu sei bem o que vocês estão pensando, e acredite, o sentimento só piora ao longo das páginas. E isso não é tudo, a chamada Lei da Vida (alguém percebeu a ironia aqui?) tem outros aspectos interessantes, como a Cegonha. Com a Cegonha você pode abandonar o seu filho recém-nascido na porta de qualquer pessoa, e se essa pessoa não ver você fazendo isso, então a responsabilidade pela criança passa a ser dos donos da casa (como não amar essa lei? ~sim, isso foi sarcasmo~).  
- Como é que alguém pode aprovar leis sobre coisas que ninguém conhece?

- Fazem isso o tempo todo - diz Hayden. - É isso que a lei é: palpites instruídos sobre o que é certo e errado.
A essa altura você já deve estar imaginando o quanto é perigoso nascer em um mundo como esse. Então, está na hora de falar dos nossos personagens, que nesse livro existem 3 principais. 
Primeiramente nós temos Connor. Ele é aquele típico adolescente problema, se mete em algumas brigas às vezes por ter pavio curto, mas no final das contas a fama é muito maior do que a realidade. Sabe como são os boatos, quem conta um conto aumenta um ponto. Mas, eis que um dia ele descobre que seus pais resolveram se livrar do problema (ao invés de educar o filho) e vão mandá-lo para a fragmentação. E vão partir em uma viagem de férias no dia seguinte ao recolhimento dele para à fragmentação! Como ninguém sabe que ele descobriu a verdade, ele decide que irá fugir antes que seja enviado para os simpáticos Campos de Colheita (nada como dar um nome alegre para um lugar ruim, eu prefiro chama-los de Campos de Extermínio). E é exatamente isso que ele faz, mas os 18 anos deles estão muito distantes ainda, e ele não sabe como diabos irá conseguir fugir da Juvis, uma polícia criada especialmente para localizar e capturar fragmentários fugitivos. 
Ficar sozinho não fazia parte de seus planos, mas ele percebe que já deveria ter entendido. Desde o momento em que seus pais assinaram aqueles papéis, Connor estava sozinho.
Enquanto Connor está enfrentando os problemas para conseguir fugir (e também lidar com o fato de seus pais não o amarem) Risa está sofrendo outros problemas em uma Casa Estadual. Essas casas são orfanatos para onde os bebês abandonados (sem ser o caso da cegonha) são levados, e onde são mantidos sob tutela do governo. Risa toca piano clássico e está sempre se esforçando ao máximo para ser perfeita, mesmo quando o seu professor diz que não precisa. Não é nenhuma surpresa ela se comportar assim, se você tendo pais está sujeito a virar picadinho, imagina alguém que nem pais tem? E é justamente essa a preocupação dela. E acaba que ela se revela verdadeira, pois devido à cortes nos custos do governo, Risa será enviada para a temida fragmentação. 
- Tudo bem ficar assustada. Toda mudança é assustadora.

- Mudança? - grita Risa - Como assim, "mudança"? Morrer é um pouquinho mais do que uma "mudança".
Mas nem todo mundo que vai para fragmentação tem horror dela. E aí que encontramos os fanáticos religiosos (sim, até nisso eles conseguiram aparecer!). Como tudo se adapta, eles também se adaptaram à Lei da Vida. E para tal eles criaram os dízimos. Mas não é o dízimo que estamos acostumados, pois nesse caso estamos falando de crianças a serem enviadas para a fragmentação. E esse é o caso de Lev, um garoto que está completando 13 anos e que é um dízimo. Ele já cresceu sabendo que seria fragmentado, simplesmente por ser o 10º filho de um casal fanático que acredita realmente que Deus quer que eles façam isso. Acabou que ele cresceu sendo ensinado que a sua fragmentação é algo sagrado e muito bom. E ele está totalmente conformado e feliz com o seu destino. Terrível não? Mas parece que talvez Deus resolva dar uma forcinha para ele encontrar outro destino.
- Então como é - pergunta Connor - passar a vida toda sabendo que você vai ser sacrificado?
Infelizmente não posso falar mais sobre a estória sem soltar spoilers, pois acredite, você não vai querer que eu revele nada e várias coisas importantes acontecem desde o início do livro, sem tempo para enrolação. Agora vamos falar da minha opinião sobre o livro. Não há palavras suficientes para descrever tudo que você vai sentir ao lê-lo. Você vai sofrer com os fragmentários e suas tristes histórias, você vai odiar todo e cada um dos adultos desse livro. Você simplesmente vai querer entrar nas páginas e sair distribuindo murros enquanto grita "POR QUÊ?!?!?!?!". É simplesmente impossível aguentar ou engolir o egoísmo dos adultos desse mundo, a frieza como eles se livram dos filhos, como eles fossem um objeto que eles não gostam mais. Existem várias histórias que nos permitem ver como essa lei absurda pode ser manipulada por aqueles que querem se dar bem. E meu Deus, é impossível descrever o ódio que você sente ao ver eles tratarem a fragmentação como não fosse assassinato.
Em um mundo perfeito, todas as mães desejariam seus bebês e estranhos abririam seus lares para aqueles que não são amados. Em um mundo perfeito, tudo seria preto ou branco, certo ou errado, e todos saberiam a diferença. Mas este não é o mundo perfeito. O problema são as pessoas que pensam que sim.
A responsabilidade de colocar um filho no mundo e criá-lo para ser uma pessoa boa não existe mais. Agora se não deu certo da primeira vez, você descarta o seu filho e tenta novamente. Os médicos não se dão nem ao trabalho de aprenderem a curar as pessoas, apenas aprendem a fazer cirurgias. Para que curar, se existem tantas "peças" sobressalentes para serem usadas? Isso sem falar no lucro exorbitante adquirido através das vendas dessas "peças".
Sim, admito que chorei em algumas partes desse livro, e quem me conhece sabe que isso é extremamente raro. Um verdadeira montanha-russa de emoções. Os personagens são cativantes, e você irá sofrer junto com eles, e compartilhará da falta de esperança deles também.
Fragmentários não sumiam com um estrondo - não sumiam nem mesmo com um lamento. Sumiam com o mesmo silêncio da chama de uma vela sendo suprimida entre dois dedos.
O que dizer da narrativa então? Esse autor tem o dom de te transportar magicamente para dentro do livro. Você irá virar uma página após a outra, sem nem ter percebido que saiu da primeira. O ritmo mantém uma aceleração que nunca pára, eles estão em fuga e você está junto com eles. Não há tempo para descansar, não há ninguém em quem confiar. Todos são inimigos e eles só tem a si próprios. O mundo está totalmente de acordo com o fato de eles serem fragmentados, não existe esperança além da tentativa de chegar aos 18 anos. O livro é uma tensão constante que não deixará que você se concentre em outras coisas (se os meus sistemas apresentarem bugs, a culpa é do autor desse livro). Ele é agoniante e impactante, e irá te emocionar até a última página. O livro ganhou 5 estrelas e foi favoritado e tudo mais que tem direito. Esse livro sim merece virar filme! A edição do livro também está muito boa, páginas amareladas e uma capa bem enigmática.
Eu prefiro ser parcialmente grande a ser completamente imprestável.
Agora só me resta curtir a minha completa ressaca literária e tentar não me apavorar com a possibilidade de que um dia uma lei tão absurda quanto a Lei da Vida possa vir à existir. E que venham os outros livros!
Céu?, pensa Connor. É mais provável que eles fossem para o outro lugar. Pois se os seus próprios pais não gostavam deles o bastante para mantê-los, quem os aceitaria no Paraíso?
Classificação


Book Trailer

ATENÇÃO! Eu, particularmente, considero esse book trailer um spoiler.


Sobre o autor

Neal Shusterman já escreveu mais de 30 livros premiados para jovens e adultos, incluindo Full Tilt, a trilogia Skinjacker, Unwholly, Bruiser e The Schwa Was Here, que recebeu o Boston Globe-Horn Award como melhor livro de ficção. Ele também escreve roteiros para o cinema e a televisão, como Animorphis e Goosebumps. Pai de quatro filhos, Neal vive no sul da Califórnia.














10 comentários:

  1. Esse booktrailer já acabou comigo quando vi, agora depois de surtar junto com você nessa resenha eu preciso ler esse livro para ontem,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. NOOOOO… spoiler!!! Você poderia ler logo esse livro, né? Preciso conversar sobre ele com alguém!

      Excluir
  2. Patricia eu gostei muito desse livro, poxa eu nunca teria imaginando a capacidade de criar algo tão chocolate igual esse autor criou o livro todo te deixa muito ansioso.

    coisasdemineira.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E como! Não vejo a hora de ler os próximos!
      Bjs.

      Excluir
  3. querida Patricia, fiquei como você ao saber do lançamento deste livro: alucinado! fiquei pensando, leio a resenha ou não leio, já que quero ler o livro e não queria saber de nada. tentei evitá-la a qualquer custo, mas a curiosidade falou mais alto e lá fui eu mergulhar em sua resenha. não me arrependi em momento algum, adorei. só fez crescer minha "necessidade" de ler este livro inventivo e sagaz. bela dica, como sempre!

    ResponderExcluir
  4. Só posso dizer que tudo isso é uma tremenda loucura, já pensou se fosse realidade?! Este foi o único lançamento da editora que me chamou atenção, e pelo visto não foi por um acaso. Preciso ler urgentemente.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É melhor nem pensar nessa possibilidade. Dá medo.
      Bjs.

      Excluir
  5. Eu sabia, sabia, EU SABIA!! Que esse livro seria marcante. A sinopse não me enganava, o trailer então... Uau!
    Receava por ler sua resenha justamente por causa do tão temível Spoiler, mas você foi fantástica! Se já tinha certeza da minha escolha, agora eu tenho 100% dela, sem medos, e muito ansiosa!
    PARABÉÉÉÉNS por essa incrível resenha.
    Ai meu Deus! Correndo atrás do livro.
    bjoca
    Ni

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O booktrailer nãooooooo….
      Mais uma que deveria ler logo esse livro. Preciso de pessoas para conversar!
      Bjs.

      Excluir

Vamos ficar super felizes com seu comentário.
Já estamos até sentindo sua falta!
Volte logo tá?
Bjão
Equipe Cia do Leitor