terça-feira, 27 de outubro de 2015

Resenha: Ele está de volta - de Timur Vermes

ELE ESTÁ DE VOLTA
Timur Vermes
Editora Intrínseca


Sinopse: Berlim, 2011. Adolf Hitler acorda num terreno baldio. Vivo.
As coisas mudaram: não há mais Eva Braun, nem partido nazista, nem guerra. Hitler mal pode identificar sua amada pátria, infestada de imigrantes e governada por uma mulher. As pessoas, claro, o reconhecem — como um imitador talentoso que se recusa a sair do personagem. Até que o impensável acontece: o discurso de Hitler torna-se um viral, um campeão de audiência no YouTube, ele ganha o próprio programa de televisão e todos querem ouvi-lo. Tudo isso enquanto tenta convencer as pessoas de que sim, ele é realmente quem diz ser, e, sim, ele quer mesmo dizer o que está dizendo. Ele está de volta é uma sátira mordaz sobre a sociedade
contemporânea governada pela mídia. Uma história bizarramente inteligente, bizarramente engraçada e bizarramente plausível contada pela perspectiva de um personagem repulsivo, carismático e até mesmo ridículo, mas indiscutivelmente marcante. 

Resenha
Para mim, isso é algo um tanto incompreensível.Por outro lado, eu também estou aqui, o que é ainda menos compreensível.
E se Hitler estivesse vivo hoje, o que ele pensaria desse novo mundo? Bem, essa é a proposta do livro Ele está de volta. Mas o livro acaba revelando na verdade, mais do que a reação de Hitler ao novo mundo, a reação dos cidadãos desse novo mundo à essa personalidade tão marcante da história.

Tudo se inicia com Hitler simplesmente acordando nada no meio de uma Berlim moderna, no ano de 2011. Muitas coisas mudaram e isso ele percebe rapidamente. Mas talvez nem tantas. Hitler agora se encontra em uma Alemanha cheia de estrangeiros, muito tecnológica e com estranhos costumes.

Logicamente as pessoas acham que se trata de um ator, afinal o dito cujo está morto, e acabam interpretando seus comentários como piada. Ou seja, basicamente alguém faz uma pergunta, ele responde com seus discursos políticos típicos, a pessoa atribui o significado que bem entende a resposta e chega a conclusão que ele fez uma crítica política utilizando-se de humor.

E é justamente graças a isso que Hitler ganha o seu próprio programa na TV e se torna um fenômeno no youtube. O que nos remete à ascensão do Hilter no período entre guerras, quando ninguém levava a sério o que ele dizia e todos encaravam os seus discursos com humor.
O que mais me irrita nessas pessoas matutinas é o maldito bom humor, como se elas já estivessem acordadas há três horas e tivesses conquistado a França nesse meio-tempo. 
E é justamente esse o ponto do livro, fazer uma crítica à sociedade alemã. Mostrar que ela hoje em dia não está tão diferente do que estava à 50/60 anos atrás. Mas ele não mostra somente isso, o livro aponta também de forma crítica as deficiências, os vícios e costumes dessa sociedade moderna. Sempre se utilizando desse personagem Hitler, vendo o mundo através dos olhos deles.

Eu dei 3.5 estrelas ao livro, não porque ele não seja bom, mas porque ele tem muitas "piadas internas" por assim dizer. Vou explicar, imaginem esse livro como um programa do CQC. Ele faz muitas criticas com bom humor, mas muitas dessas críticas e piadas passam batidas ou pouco nos impactam, pois elas são referentes a partidos políticos alemães, personalidades alemãs, política econômica, da imigração, a sociedade alemã e européia, etc. Ou seja, é mesma coisa que um estrangeiro assistindo a um programa do CQC brasileiro, ele entenderia algumas piadas, mas não todas. E mesmo entendendo, tais piadas perderiam um pouco da força por não fazer parte de seu cotidiano. O mesmo ocorre com o livro, as críticas à sociedade ocidental como um todo nos atinge mais, porém algumas são muito específicas do país e da Europa.
Mas mesmo assim continua sendo um ótimo livro livro, principalmente se você gosta de um humor seco, sem piadas escrachadas e caricaturadas. Aqueles tipos de piadas que simplesmente nos mostram a realidade como ela realmente é. A estória segue aquele molde: "o que aconteceria se Jesus voltasse, nós cometeríamos os mesmos erros? Ele seria crucificado novamente?" E então, se Hitler voltasse, seus tais ideais monstruosos fariam com que ele fosse imediatamente preso? Ou será que mais uma vez o povo daria o poder para ele, enquanto todos acham que tudo não passa de uma grande piada? Agora substitua Hitler por uma nova pessoa carismática, com ideais tão terríveis como o anterior, o que realmente aconteceria? Será que a humanidade evoluiu tanto assim? Ou simplesmente tudo continua igual? Ou estamos ainda piores?
- Olhe, o senhor não vai roubar minha banca de jornal inteira, não é?

Olhei para ele, indignado.
- Pareço um criminoso?
Ele me encarou.
- O senhor parece Adolf Hitler.
- Exatamente - respondi.
Sobre o autor

Nascido em 1967 em Nuremberg, de mãe alemã e pai húngaro, Timur foi antes do sucesso do livro Ele Está de Volta, uma sátira do século XXI de Hitler que vendeu milhões de cópia na Alemanha e apareceu nos melhores jornais do Reino Unido e dos Estados Unidos, um autor fantasma e também é jornalista. Após o colégio estudou história e política na universidade de Erlangen. Desde então trabalhou como jornalista para diversos jornais, entre eles os de Munique e o Kölner Express, além de várias revistas antes de estreiar em 2007 como escritor fantasma por trás de livros de ficção-histórica. Em dezembro de 2013 Vermer anunciou que seu bestseller seria transformado em filme em uma co-produção sw Constatin Film e a Mythos. O filme está programado para 2015 e o roteiro será feito pelo próprio Vermes.




4 comentários:

  1. A proposta do livro é bem interessante. Quero muito ler. Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aproveita para ler antes que o filme saia.

      Excluir
  2. cara Patrícia, livros com "realidades alternativas" de certa forma me encantam. o exercício futurístico de algo que não aconteceu sempre norteia a mente de seres criativos. quando li "o homem do castelo alto", um clássico de Philip K.Dick, encantei-me com a história superveniente á conquista da Segunda Grande Guerra pelos "nazistas", pasmem. não era leitura fácil, aliás, agradável não descreve a escrita alucinada de Dick. creio que este livro seu tem o mesmo teor. grandes questões são levantadas, todas elas crísticas e muitas vezes irônicas. tive este livro nas mãos algumas vezes, da próxima vez olharei com mais atenção. bela dica!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nem me fale nesse livro! Estou louca para lê-lo, está na minha lista de ultra desejados, juntamente com vários outros do mesmo autor. Sem dúvidas esse livro é bom, só é uma pena eu ter conseguido aproveitar todo o potencial do humor que ele propõe.

      Excluir

Vamos ficar super felizes com seu comentário.
Já estamos até sentindo sua falta!
Volte logo tá?
Bjão
Equipe Cia do Leitor