quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

Resenha: Esperando por Doggo - de Mark B. Mills

ESPERANDO POR DOGGO
Mark B. Mills
Editora Novo Conceito

Sinopse: Dan achava que tinha uma vida feliz com Clara, mas, de uma hora para outra, ela desaparece inesperadamente de sua vida, deixando para trás apenas uma carta de despedida e um cachorro. A pequena criatura é incomum e sequer tem um nome definitivo, ele é simplesmente chamado de Doggo. Agora, Dan tem a missão de devolver Doggo, e, ao mesmo tempo, encontrar um novo emprego. A primeira missão parece ser fácil, a segunda, nem tanto. Com o passar dos dias, Dan começa a desfrutar da companhia de Doggo e não tem coragem de abandoná-lo. De forma singela, mas significativa, a presença do pequeno cão ajuda àqueles que estão ao seu redor. Doggo acaba tornando-se muito mais que um amigo de quatro patas, transforma-se em uma verdadeira fonte de inspiração para o trabalho e para a vida de Dan. 

Esperando Doggo não é só um livro sobre um cachorro. É um livro sobre o poder de uma verdadeira e sincera amizade.
Resenha

Dan tinha uma vida muito boa, até ser abandonado por sua namorada (quase noiva) Clara. Ela simplesmente foi embora, sem muitas explicações, deixando para trás somente um bilhete e Doggo. Doggo é um cachorro que Clara havia pegado em um abrigo em uma tentativa fadada ao fracasso de salvar o namoro. Não há outra forma de dizer isso, segundo o livro, Doggo é um cachorro especialmente feio (eu não acredito que existam bichinhos feios, para mim todos são sempre lindos e perfeitos). E além disso, o nome dele nem é Doggo de verdade, esse era apenas um nome provisório até eles decidirem por um nome. Mas enfim, no final das contas Clara (que seria a dona do cachorro) foi embora e uma das coisas que ela diz na nota é que Dan pode devolver o cachorro para o abrigo, afinal ele nem gostava dele. E Dan realmente pretendia devolver Doggo para o abrigo, ele até mesmo chega à levá-lo de volta. Porém no momento da devolução, a solidariedade masculina no quesito castração acaba fazendo com que Dan volte para casa com Doggo. Por sinal, ninguém no abrigo sequer esperava que o Doggo, anteriormente conhecido como Mikey, fosse adotado.
- Eu tinha marcado o Mikey como um "permanente".- Permanente?- Como na prisão… aqui ele ia ficar a vida toda.- Por que você diz isso?- Bom, olha para ele, né?
E aí as coisas ficam ainda mais complicadas para ele, pois Dan precisa começar em um novo emprego e não pode deixar Doggo sozinho em casa. Porém acaba que isso não se torna um problema por muito tempo, pois Dan consegue até mesmo convencer a deixá-lo levar o seu cachorro para o trabalho. Dan é um publicitário tentando encarar o desafio de um novo emprego ao mesmo tempo que deseja mudar de área.

E com o passar dos dias, enquanto Dan se adapta ao novo emprego e colegas, e supera o chute na bunda da ex-namorada, Doggo começa a ser tornar a maior constante da vida dele. Eles se tornam amigos inseparáveis e Dan começa a descobrir que Doggo é extremamente mais inteligente do que ele poderia pensar e aos poucos Dan não consegue mais ver a sua vida sem Doggo, sem esse cachorro que ele passa a amar tanto. E é sempre Doggo que está lá para apoiá-lo nos piores e nos melhores momentos, seja na hora de enfrentar inimigos, seja na hora de enfrentar um segredo há muito enterrado, ou até mesmo enfrentar a possibilidade de um novo amor. Doggo não deixa dúvidas que ele é realmente o melhor amigo do Dan.
Você jamais poderia descrever Doggo como "esguio". Ele é um vira-lata baixinho, gordinho, comum, honesto e passado de mão em mão. Mesmo assim, ele parece não ter a menor ideia de que é assim.
Com uma narrativa cativante e fluida, Esperando por Doggo mostra o desenrolar de uma amizade fantástica entre um homem e seu cachorro. Cada capítulo é encantador e especial. Doggo é um cachorro fantástico, e posso até mesmo dizer que tem um humor mordaz (ou assim fica parecendo segundo a interpretação do Dan sobre seus atos). Dan por sua vez tem aquele humor típico dos ingleses, que eu amo.

O livro é bem leve, ele não vai te fazer se debulhar em lágrimas, pois ele não é esse tipo de livro, porém haverá um momento que seus olhos correm o risco de suar. O livro é pequeno e a leitura acaba sendo bem rápida justamente por causa do ritmo leve e fluido. Eu acabei dando 4 estrelas para esse cachorrinho fofo. Se você está se perguntando sobre o título, bem, leia que você irá entender. O mesmo pode ser dito da capa. Sobre a edição do livro, ela está muito boa e eu amei essa capa extremamente fofa com o Doggo, simples e linda. Então esse livro acabou se tornando um super presente de Natal enviado pela nossa parceira, Editora Novo Conceito. A mais pura sinceridade é que estou amando todos os lançamentos da editora.

Sem dúvida recomendo o livro, principalmente se você gosta de animais. Esse livro deixa bem claro como os animais são importantes nas nossas vidas e como ter um animal ao seu lado te permite ter uma amizade à prova de qualquer desafio. No final das contas, Doggo prova que ele é muito mais do que um cachorro pequenino e feio.
-Ela sempre procura o amor no lugar errado.- E onde é o lugar certo?- Onde quer que seja que você não está procurando.
Sobre o autor

Mark B. Mills é autor e roteirista britânico. Formou-se na Universidade de Cambridge em 1986. Viveu na Itália e na França, onde escreveu vários roteiros para o cinema. Ele mora perto de Oxford com sua esposa e dois filhos.


32 comentários:

  1. querida Patricia, não tenho aquela empatia que muita gente tem com animais, provavelmente porque não tenho animal de estimação em casa, aliás, nunca tive. então fica difícil conseguir passar pela maioria dos sentimentos que permeiam histórias como esta. por outro lado, amor é amor, e quem tem sensibilidade a tem com pessoas e animais, portanto sua dica é quente!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como você disse, amor é amor. E você precisa conseguir um bichinho também!
      Bjs

      Excluir
  2. Oiee
    Eu não sou muito ligada a animais. Não que eu odeie eles, acho fofo e bonitinho, principalmente esa amizade entre humanos e cachorros, gatos. Mas gosto de longe.

    É como bebezinhos ou crianças, amo ver eles, relacionamento de pai e filho. Mas de longe, não quero filho nem nada, muita responsabilidade.

    Não sei se leria o livro, mas a editora está de parabéns pelo lançamento.

    E parabéns pela resenha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Animais são como crianças, é realmente necessário muito responsabilidade. Mas quem sabe, mesmo assim você não curte o livro?

      bjs.

      Excluir
  3. Olá Paty,
    Esse livro esta na minha estante e é minha leitura garantida para janeiro, amo livros de bichinhos e sempre choro horrorores com eles kkkkkk mas é inevitável não ama-los
    Parabéns pela resenha

    Beijokas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sem dúvidas! Amos bichinhos e amo livros sobre eles!

      Bjs.

      Excluir
  4. Olá :)
    Apesar de não curtir muito livros com temáticas voltada para animais, a premissa do livro me pareceu interessante!
    Adorei conhecer seu cantinho e já estou seguindo!

    Beijos,
    http://livrosentretenimento.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Oii
    Nunca li nada que envolvesse cachorro. Mas esse acho que arriscaria. Parece ser uma leitura bem leve e gostosa. Se tiver oportunidade, lerei!
    Bjus

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E não é uma daquelas leituras que acabam com você emocionalmente hahahaha…
      Bjs.

      Excluir
  6. Eu curti a leitura do livro que realmente é muito leve. e o doggo é um charme a mais - mesmo sendo feio, ele tem atitude e isso encanta.
    eu achei que o autor não precisaria ter dado tantos problemas na vida do Dan e ter se aprofundado melhor em um ou dois, mas mesmo assim, gostei do livro e adorei sua resenha - achei que ficou bem melhor que a minha hehehehe
    Beijinhos,
    Lica
    Amores e Livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É uma leitura que vai levando a gente de forma suave enquanto nos encantamos como Doggo.
      Bjs.

      Excluir
  7. Não sou muito de ler livros que tenham bichos, mas acho lindo e gostei da história.
    Acho a relação entre nós e cachorros uma das mais verdadeiras.

    Lisossomos

    ResponderExcluir
  8. Oi Patricia!!
    Eu tenho medo de ler livros com cãezinhos, sabe? Porque sempre choro, mesmo nos finais felizes T_T
    Fico feliz em saber que o livro é leve e não vai me fazer chorar litros, mas olha só, vou chorar de qualquer jeito!! hahahaha
    Beijos e Feliz ano Novo!!

    LuMartinho | Face | Sorteio de Natal

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse pelo menos não irá te desidratar.
      bjs.

      Excluir
  9. Oie

    Eu tenho uma vontade imensa de ter um cachorro. Mas tenho um gato e amo ele, por mais que eu o chame de chato eu não consigo viver sem ele. Também tenho uma curiosidade em ler livros com cachorros como um dos personagens na maioria das vezes eles não me chamam muita atenção, mas preciso deixar esse preconceito de lado e ir atrás. Parabéns pela resenha deu para perceber o quanto você gostou do livro.


    Feliz 2016
    Bjs
    Mayla

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu já tive cachorro e gato ao mesmo tempo, acredite, eles se amavam.
      Bjs.

      Excluir
  10. Ai que fofo, já quero o Doggo pra mim, adorei sua resenha e adoro livros com animais. Cães muitas vezes vem para poreencher um espaço vazio em nosso coração...amooooo
    Bjin
    http://reinoliterariobr.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Oi Patricia, fico feliz que tenha gostado do livro, eu tenho ele aqui em casa e só não peguei por falta de tempo mesmo, mas já que a leitura é leve e delicada, espero lê-lo o quanto antes!

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A leitura vai ser super rápida e você irá gostar.
      Bjs.

      Excluir
  12. Olha eu sinceramente tenho que confessar que eu gostei do livro, mas não gostei também sabe?
    E olha que eu adoro cachorro. Mas ele não foi um livro assim que me envolveu tanto na estória. Eu acho que eu esperava bem mais do que foi. E olha que Soldier acho que ganhou uns pontos comigo, porque nem dele eu gostei tanto por conta de se passar na guerra, mas ele aborda mais a estória dos cachorros e tudo mais. Esse do DOGGO eu não achei tanto assim. Mas mesmo assim é um bom livro para descontrair e ler sem compromisso.

    http://lovereadmybooks.blogspot.com.br/2015/12/retrospectiva-2015-livros-e-outras.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele é um livro leve, ele não tem a pretensão de te dar uma ressaca literária, mas é um bom livro para se ler.
      bjs.

      Excluir
  13. Oii amo animais e eu acho que justamente por isso para mim não dá certo ler livros que envolve esses seres que amo tanto.
    Adorei a sua resenha e fico muito feliz que tenha gostado do livro.

    beijos
    Mayara
    Livros & Tal

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse você pode ler sem medo e sem lágrimas.
      Bjs.

      Excluir
  14. Oi, tudo bem?

    Eu nunca li nenhum livro que tenha animais, mas esse parece ser bem legal. Eu gostei do enrendo apresentado na sua resenha, em breve pretendo fazer a leitura do livro, fiquei muito curioso e achei a capa MUITO bacana ♥


    http://desencaixados.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Depois de ler e me desidratar com a leitura de Marley e Eu, eu topo ler qualquer livro que fale da relação do melhor amigo do homem com o mesmo. Eu só não curti muito a capa, mas isso não me abateria
    Beijos
    Ingrid

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E eu amie a capa! hahahaha…
      Esse irá te desidratar bem menos.
      bjs.

      Excluir
  16. Oi Pati,
    Ganhei esse livro de uma amiga querida e não vejo a hora de ler.
    Amei sua resenha e fiquei ainda mais animada para conhecer o Doggo.
    Pelo o que li do que você escreveu, lembrei muito da história real do Jimmy Choo, o dono dele tem um insta e sempre posta foto deles.
    Uma história linda e emocionante.

    Abraço e Bons Livros,
    Biblioteca do Coração❤

    ResponderExcluir

Vamos ficar super felizes com seu comentário.
Já estamos até sentindo sua falta!
Volte logo tá?
Bjão
Equipe Cia do Leitor