sexta-feira, 8 de janeiro de 2016

Resenha: Zac e Mia de A.J. Betts - Editora Novo Conceito

ZAC & MIA

A.J. Betts
Editora Novo Conceito
Skoob
Sinopse: 

A última pessoa que Zac esperava encontrar em seu quarto de hospital era uma garota como Mia - bonita, irritante, mal-humorada e com um gosto musical duvidoso.No mundo real, ele nunca poderia ser amigo de uma pessoa como ela.
Mas no hospital as regras são diferentes. Uma batida na parede do seu quarto se transforma em uma amizade surpreendente.
Será que Mia precisa de Zac? Será que Zac precisa de Mia? Será que eles precisam tanto um do outro?
Contada sob a perspectiva de ambos, Zac e Mia é a história tocante de dois adolescentes comuns em circunstâncias extraordinárias.

Drama / Romance

RESENHA:


Dizem por aí que "os opostos se atraem", Zac e Mia fizeram jus a essa frase.


Zac é um jovem de 17 anos paciente de Leucemia e está internado no hospital por mais de 40 dias se recuperando do transplante de medula óssea, se não fosse sua determinação, confiança e paciência, e se não tivesse o apoio de sua família, principalmente de sua mãe que esteve presente a cada segundo. Zac certamente seria mais um número de pessoas sem vontade de continuar a lutar pela vida, entregue a própria derrota. 

Zac era conhecido entre os médicos e enfermeiros como um paciente fácil e agradável de lhe dar, "O bom rapaz", sempre com pensamentos positivos, nunca reclamava de nada, apenas lutava por sua vida, facilitando muito o trabalho de seus cuidadores. De acordo com as estatísticas ele tinha 55% de chance de cura, pra Zac isso era uma boa notícia e faria de tudo pra que todos os esforços valessem a pena.

Já estava se adaptando a rotina de exames, agulhas, quimioterapia, enjoos e o entra-e-sai de novos pacientes nos quartos vizinhos, não questionava, não relutava, apenas sorria e compartilhava suas experiências com àqueles que se aproximavam a fim de manter algum vínculo de amizade temporária.

A paz foi interrompida no momento em que ganhara um vizinho no quarto 2, um tanto barulhento e irritante. Lá se vai seus dias de sossego. Quem seria a horrível pessoa que quase o levou a loucura com doses cavalares de Lady Gaga? Seja quem fosse, não tinha a mínima noção do era respeitar os demais pacientes, nem noção de que estava em um hospital! E era muito desrespeitosa com a equipe de médicos e enfermeiros que estavam ali pra ajudá-la, e o mínimo que podia fazer era ser gentil com eles.
Mas, foi na 20ª rodada de Lady Gaga que Zac resolve dar um basta na terapia de choque e foi agindo por impulso que um ponderado Zac conhece a descontrolada Mia.

"Esta noite quero me esquecer de mim mesma. Quero estar nos braços de outra pessoa, a salvo dos pesadelos: sem sonhar, dormindo Quero ser mais que uma fração."

Mia era o oposto de Zac, impaciente, irritante, grosseira, uma verdadeira rebelde que pensava apenas em status. Ela é um 98% na estatística, já que seu câncer era na perna, fácil de ser removido, bem, aparentemente fácil...  Não aceitava sua nova condição, odiava tudo em sua volta, não queria um tratamento que a tirasse da sociedade, dos amigos, das noitadas e festas. Na escola ela era a "aluna popular" e assim gostaria de continuar sendo, mas os riscos eram grandes já que fora do seu habitat perderia a coroa para possíveis concorrentes. Isso a deixava cada vez mais irritada e descontrolada.



Ao contrário de Zac, (mais uma vez) Mia mal tinha a companhia de sua mãe. Também pudera, sempre a expulsava com palavras de baixo calão. Até os médicos e enfermeiros sentiam-se afugentados por Mia, por sua indelicadeza. Menos Zac que enxergou em Mia o que ninguém enxergara e resolveu investir e ajudá-la. Não seria nada fácil para Zac, mas ele era "determinado e confiante", como disse no incio. Lembra? 

IMPRESSÕES:

De cara já encontro nas primeiras páginas um livro que se mostrou divertido, simples, sutil e com uma carga emocional muito grande, já que se trata de sick-lit. O Leitor se encanta com o jeito calmo e bondoso de Zac, a empatia é quase que imediata.
"Foda-se o mundo e toda a má sorte. Fodam-se os médicos e as agulhas e a dor. Foda-se o Google e todas as estatísticas, porque elas não significam nada quando é a sua vida que está em jogo."
E posso falar o mesmo de Mia, mesmo sendo esquentadinha e muito cabeça dura, a gente aos poucos vai entendendo que por baixo da armadura existe uma jovem assustada, temendo pelo amanhã. Sua forma de extravasar esse medo é repudiando as pessoas em sua volta, um "Give me alone!" para proteger os outros dela mesma. Mas, não surtiu efeito algum em Zac, pelo contrário, ela era pra ele um desafio, ele enxergava a alma de Mia como ninguém. E mais do que nunca ele quis fazer parte do processo de aceitação e cura.

Zac era forte, era coerente, era astuto e justo, ele usaria de todas as artimanhas pra convence-la a fazer a coisa certa, aos poucos vamos acompanhando uma transformação inimaginável em Mia e nos aproximamos mais e mais dela. Ela aprende a lição de forma tão singular que nos emocionamos quando a vimos praticando o aprendizado de forma especial e singela.

Um livro lindo, repleto de realismo, mas que ao mesmo tempo nos faz sonhar, querer o melhor para os personagens, o melhor para as pessoas que vivem essa doença, a cura, o fim de tantas histórias tristes ao redor do mundo . Nos prova que o amor e a amizade supera todos os obstáculos. Zac e Mia é uma lição inesquecível de vida, leitura obrigatória para os amantes de livros Sick-Lit, para pessoas que estão a procura de um livro divertido e emocionante.

Indicadíssimo.





9 comentários:

  1. Ahhhh… não sei se já quero ler esse livro ou se não quero ler esse livro. Admito que já estou cansada dos sick-lits, mas a sua resenha me deixou com vontade de ler o livro por causa do romance que irá se desdobrar. Oh dúvida cruel!
    Parabéns pela resenha, bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vou te ajudar Paiva...LER!
      É muito fofooooo!

      Excluir
  2. Oi Ni,
    Não pedi esse livro na Novo Conceito, pois mesmo tendo solicitado um para cada colaborador acabei tendo que assumi muitas leituras em virtude de contratempos com eles. Faz parte, mas vejo que Zac & Mia tem uma história real, comovente e que vai nos fazer refletir e sempre será um aprendizado de vida.
    Ótima resenha!
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que pena que não pediu, mas está muito baratinho. Vale a pena comprar e mergulhar no mundo de Zac e Mia. Emocione-se e surpreenda-se.

      Excluir
  3. Adoro Sick lits e esse parece ser bem divertido e não só triste, com certeza vou amar. Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim Dani, tem situações muito divertidas e claro, tristes. além de ser muito fofo o desenrolar da história. Os personagens são muito carismático.
      Leia!

      Excluir
  4. Adoro Sick lits e esse parece ser bem divertido e não só triste, com certeza vou amar. Bjs

    ResponderExcluir
  5. Oi Ni
    Não sei porque, mas imaginava uma história completamente diferente para essa capa... mas gostei de saber sobre o que é o enredo do livro, parece ser uma história comovente.
    Parabéns pela bela resenha
    Beijinhos
    Renata
    Escuta Essa

    ResponderExcluir
  6. Olá!

    Gosto bastante de amizades assim, dois opostos, pessoas que acreditam e agem de maneira diferente, aliás, muitas amizades minhas são assim! Acredito que por esse fato, preciso ler esse livro urgentemente, ótima resenha!

    Abraços, Heitor Botti
    shakedepalavras.blogspot.com

    ResponderExcluir

Vamos ficar super felizes com seu comentário.
Já estamos até sentindo sua falta!
Volte logo tá?
Bjão
Equipe Cia do Leitor