quarta-feira, 27 de abril de 2016

Resenha: Doutrinados - de Trisha Leaver & Lindsay Currie

Doutrinados
Trisha Leaver & Lindsay Currie
Editora Gutenberg

Sinopse: Parados no meio de uma estrada deserta, sem gasolina e precisando de abrigo contra o frio e a neve, Dee, Luke e Mike vão buscar ajuda na cidade mais próxima, Purity Springs, a única esperança dos jovens de conseguir combustível para seguir viagem. Mas as ruas do vilarejo estão vazias e o local parece desabitado…
As dezenas de casas idênticas, tanto na aparência quanto no silêncio que carregam, são assustadoras e, para um lugar abandonado, está tudo organizado demais. Conforme vão se arriscando pelas ruas ermas de Purity Springs, os três viajantes descobrem indícios perturbadores da vida que se levava ali.
Que tipo de gente mantém um cemitério de cruzes sem nome? Que tipo de crença faria com que todos os moradores de uma cidade tivessem em suas casas palmatórias, bisturis e um livro sinistro para doutrinar crianças e pecadores por meio da dor e do flagelo?
Sem saída e sem contato com o mundo exterior – celular e internet não funcionam –, Dee, Luke e Mike encontram apenas dúvidas e os vestígios de um terror inacreditável.
Mas… uma sirene toca em algum lugar lá fora. Talvez a cidade não esteja tão vazia assim…
Resenha


Dee tinha planejado o final de semana perfeito para passar com o seu namorado, Luke, e o irmão dele, Mike. Aquele seria a comemoração de aniversário de namoro perfeita. Primeiro eles iriam à um show da banda que tanto amam e depois passariam o resto do final de semana em um hotel. Tudo parecia perfeito, até o carro parar no meio do nada por falta de gasolina.

Para piorar ainda mais a situação, eles não tem ideia de onde estão, tempo está extremamente frio e sem dúvidas não demorará muito para começar a nevar. Eles decidem então que a melhor opção é seguir a pé para a próxima cidade, para conseguir a gasolina e seguir com os planos.

E até que não demora muito tempo para que eles chegam a uma nova cidade, porém há algo de muito estranho nela. A primeira coisa que eles notam é a sirena estridente que está tocando sem parar. A segunda é que não há ninguém à vista. No melhor estilho Silente Hill, eles se deparam com uma cidade vazia, em uma noite fria, com uma sirene tocando. Eu não sei quanto à vocês, mas eu não pensaria duas vezes antes de dar meia-volta e seguir andando (leia-se correndo loucamente) até outra cidade.
Estava escurecendo, não havia uma alma sequer à vista e nós não tínhamos nem ideia de onde estávamos. Ótimo. Agora só precisávamos de uma mocinha branquinha de biquíni, um sujeito enorme usando uma máscara de hóquei com uma serra elétrica e um xerife transformado em zumbi para termos o filme de terror perfeito acontecendo ao nosso redor.
Mas como típicos personagens de filme de terror, eles decidem continuar por ali, para encontrar ou gasolina ou um telefone ou uma pessoa qualquer. Infelizmente nenhuma das três coisas são tão fácies assim de encontrar por ali. Conforme eles se aprofundam ainda mais na cidade, as coisas começam a ficar ainda mais esquisitas. Todas as ruas são exatamente iguais, com as mesmas casas exatamente iguais. A cidade tem um cemitério assustador, em nenhuma das casas há telefones, e para piorar tudo, eles encontram um livro e objetos extremamente perturbadores.

Agora eles precisam decidir o que fazer, afinal, talvez a cidade não esteja tão vazia assim…
Luke deu de ombros e fizemos uma varredura visual na área em volta, procurando um cogumelo atômico, um tornado em forma de funil ou um tsunami, qualquer coisa que pudesse explicar uma sirene de emergência. A não ser pela grossa camada de nuvens cinzentas ao fundo, o horizonte estava limpo. Não havia qualquer sinal de tempestade mortífera, do apocalipse ou de um ataque de zumbis. Absolutamente nada.
Eu não posso me aprofundar muito mais na descrição desse livro, pois senão teria começar a revelar vários pontos da trama, o que acabaria com todo esse mistério do início, que para mim foi o ponto alto do livro. Eu fiquei muito feliz quando a nossa parceira, editora Gutenberg, nos enviou o livro de cortesia para resenha. A primeira coisa que havia me chamado atenção no livro foi a capa, com esse nome impactante. Aí quando eu li a sinopse, eu não tive dúvidas que precisava desesperadamente ler o livro. Cidade vazia com uma sirene tocando, sério, como não querer ler um livro depois disso?
Tínhamos de ficar juntos. Era burrice nos separamos daquele jeito.
A narrativa do livro é bem fluída, e com os capítulos curtos, a leitura acaba se tornando bem rápida. Nos primeiros capítulos, essa curiosidade de saber o que diabos está acontecendo e principalmente o que irá acontecer, faz com que você não queria para mais de ler. Infelizmente chega um ponto que essa compulsão diminui, mas ainda assim a fluidez se mantém.

Uma coisa negativa que encontrei no livro foram os personagens, no início eu gostei muito da Dee e da sua forma de pensar. Então fiquei decepcionada posteriormente com algumas burrices que ela fez. Mas não somente ela, outros personagens também tomam certas atitudes que faz você querer dar um soco neles. Exatamente como personagens de filme de terror. Por causa disso eu acabei tirando uma estrela da minha avaliação, fechando em 4 estrelas.
O lugar estava silencioso. Silencioso demais.
Também prefiro não revelar os meus sentimentos sobre o final do livro, pois na minha tentativa de me expressar, provavelmente acabaria revelando alguma coisa. O que seria terrível para esse tipo de livro. Então vocês vão ter de ler para descobrir. 

Sobre a edição do livro, ela está linda! A capa é perfeita e sombria, e dentro do livro, em todas as páginas à direita, existe um rastro de sangue que vai aumentando ao longo do livro. As páginas são amareladas, com papel grosso e fonte em um ótimo tamanho. Como disse, os capítulos são em sua maioria curtos, facilitando ainda mais a leitura, principalmente se é uma leitora de transporte público com TOC de parar somente no certinho no capítulo.

Eu recomendo o livro, sem dúvidas vale a leitura. Mas já aviso que se você está esperando um livro assustador, esse não é o caso. Apesar da capa sombria, da sua sinopse mistériosa e do começo tenso, a estória como um todo não é assustadora. Pelo menos para mim que sou viciada em filmes de terror, então se você se assusta facilmente, você possivelmente ficará abalado com essa estória. Então não deixem de ler esse livro e descobrir o que irá acontecer!
Alguma coisa naquela vizinhança como um todo me dava impressão de que algo estava errado. Bastante errado.
Classificação


Sobre as autoras

Trisha Leaver
De Cape Cod, Massachusetts, é editora freelancer e membro da SCBWI (Sociedade dos Escritores e Ilustradores de Livros Infantis). É formada pela Universidade de Vermont em Assistência Social, com atuação em entidades de serviço social na área de proteção à infância e juventude.




Lindsay Currie
De Chicago, Illinois, é formada pela Knox College e membro da SCBWI, da American Horror Writers Association, da YA Stream Queens e da OneFourKidLit, uma comunidade para escritores que estrearam em 2014.





16 comentários:

  1. pois é querida Patrícia, a capa me pegou. ela é maravilhosa! não me lembro de ter nenhum livro da gutenberg, isso pra mim já seria um atrativo inapelável. fiquei curtindo sua resenha e o trechos que retirou do livro. tenho problemas com personagens boçais, aqueles que não pensam, não realizam e levam a maioria dos outros para o buraco. parece meio artificial, forçadinho. por outro lado, hitchcock reconstruiu o gênero suspense com tomadas em que o espectador sabe o que vai acontecer, mas não consegue fazer nada, como na clássica cena do chuveiro. ao colocar uma garota indefesa prestes a ser esfaqueada, ficamos lá torcendo para que algo aconteça e ela fuja, mas isso não acontece. há um clímax, mas o que realmente vale é a antecipação dele. talvez este livro traga esta característica, personagens clássicos de filme de terror, fazendo burradas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muitas vezes quase arremesso livros nas paredes de tanta raiva dos personagens. É uma simples questão de senso comum, que a maioria deles não possui.

      bjs.

      Excluir
  2. Oii, tá boa? Então, se pra você que é viciada em filmes de terror foi ok, pra mim vai ser um livro que vai me deixar com medo, de certeza! hahaha Para ter ideia do quanto sou medrosa, fico com medo até com propaganda de filme de terror em tv aberta ><' kkk mas fiquei bem curiosa com o lance da sirene e agora quero ler o livro (mesmo os personagens sendo um pouco irritantes), como faz?! rs
    Adorei a resenha ^^

    Beijos!
    @PollyanaCampos
    Entre Livros e Personagens

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahaha... então você ficará com muito medo no início do livro, com toda aquela pegada Silente Hill.

      Bjs.

      Excluir
  3. A capa é muito legal e a sinopse me conquistou de imediato!
    Preciso ler esse livro logo, pois fiquei super curiosa para saber o que tem de tão estranho nessa cidade. o.O
    Beijinhos
    Renata
    Escuta Essa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A curiosidade matou o gato.... hahahahaha...

      bjs.

      Excluir
  4. Oiii Patrícia, sua linda, tudo bem?
    Fiquei completamente louca por esse livro, quando vi o nome pensei que falava de um livro mais filosófico, porém o gênero de terror realmente me agrada e leria com toda certeza, sua resenha ficou incrível e cheia de mistério, me cativando cada vez mais.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Terror é muito melhor do filosófico, não? hehehehe...

      bjs.

      Excluir
  5. Nossa, amei a resenha, esse é bem o meu tipo de livro, adoro suspenses e fiquei extremamente curiosa com essa cidade. Vou colocá-lo na minha lista com certeza!!! Beijos

    pegueumaxicarablog.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Por quanto tempo você aguentará não saber a verdade por trás do mistério?

      bjs.

      Excluir
  6. Patrícia, confesso que já estava ficando com medo desse livro que bom que ele não é assustador.
    Com certeza eu sairia correndo loucamente dessa cidade.
    A história é boa, só não é meu tipo por eu ser muito medrosa.

    Lisossomos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Depende do quão facilmente você se assusta. Eu não me assusto fácil, mas quem sabe você não fica morrendo de medo e por isso mesmo acabe amando o livro?

      bjs.

      Excluir
  7. Oie
    ótima resenha e ainda não conhecia esse livro da editora, muito legal a capa e o enredo, fiquei mega curiosa

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi eu bater os olhos na capa que eu já queria ler. Aí eu li a sinopse e tive a certeza que eu tinha de ler.

      Bjs.

      Excluir
  8. GENTE, EU SOFRO COM ESSAS TRAMAS DFJGDFJGNDFJGNDJGN Por mais que a gente fique gritando "NÃO SEGUE! VOLTA! É CILADA! VAI EMBORA DAÍ!" ficamos no maior frinizi pra saber se eles vão sair dessa vivos ou não (tomara que tenham aprendido a verificar se abasteceram o carro direitinho antes de viajar, se sobreviveram hahahah). Fiquei com vontade de ler, sim! Tô acostumada com essas coisas em filmes e séries, ainda não li nada do tipo.

    Parabéns pela parceria com a Gutemberg! Fizeram um ótimo acordo, sua resenha ficou muito boa :3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aí bate uma vontade louca de enfiar a mão na cara dos personagens ao mesmo tempo em que você grita "eu te avisei!!!" hahahaha...

      bjs.

      Excluir

Vamos ficar super felizes com seu comentário.
Já estamos até sentindo sua falta!
Volte logo tá?
Bjão
Equipe Cia do Leitor