domingo, 18 de setembro de 2016

Apoiando a Campanha Mundial pela Leitura #diadelertododia

Olá pessoal!

Vai acontecer no próximo dia 20 de setembro a  Campanha Mundial pela Leitura #diadelertododia e o blog Cia do Leitor não ficará de fora dessa.  
A campanha ajuda a colocar a leitura na pauta das preocupações das famílias, professores e governos. O objetivo é despertar a sociedade para a importância de ler para o desenvolvimento pessoal e formação de novos leitores que, certamente, contribuirão na construção de um país melhor.
Para participar do #diadelertododia, é preciso fazer inscrição no link disponibilizado acima ou clicar aqui, organizar alguma ação – leitura individual, em grupo, com a família, Hora do Conto, Sarau Literário, entre outros – filmar ou gravar a leitura e enviá-la para a coordenação geral da campanha. Somente o material enviado será contabilizado no final. Fonte: http://www.diadelertododia.com/


Implantação do projeto no Cia do Leitor

Os inscritos mais antigos sabem de minha história de vida e minha trajetória como blogueira aqui no Cia do Leitor. Irei fazer um breve resumo pra você que chegou agora no blog/canal, para apresentá-los melhor a minha ideia quanto a essa campanha incrível.

Em 2015 comecei a cuidar de minha mãe que além de ter ficado recentemente viúva, sofre da doença do Alzheimer entre outros probleminhas. Desde então, eu tenho vivido uma verdadeira luta pra não perde-la. Não me refiro perder pela morte (Já que isso é inevitável, é o destino de todos nós), mas a morte em vida, a perda de memória e identidade... E essa batalha tem sido um tanto injusta e cruel, porque as armas que deveria usar contra o avanço do Alzheimer eu até as possuo, mas não posso empregá-la da maneira correta. 

Alguns médicos e até mesmo testes feitos por maiores cientistas da área, informam que está comprovado que quem ler muito retarda o avanço desta doença. É aí que me sinto perdida. Tenho uma biblioteca incrível, dos mais variados gêneros e tipos disponíveis, ela mora em um lugar repleto de diversões e sonhos. Mas, não usufrui dele, simplesmente porque não sabe ler.

Interiorana de Goiana/PE, nasceu em uma família muito humilde, mal tinham o que comer. Sua mãe, minha avó, saia para trabalhar na roça junto com meu avô, apenas para garantir a comida para os 10 filhos no final do dia. Os filhos mais velhos, frequentaram a escola apenas até o nascimento dos mais novos, muito cedo abdicaram dos estudos para ajudar minha avó na criação. Minha mãe, era uma das filhas mais velhas, e não chegou a aprender a ler e escrever. Até conheceu as letras e números, mas não soube usá-los, criar palavras, ler uma pequena frase como: "Vovô viu a uva" suas aulas pararam na fase de apresentação dos caracteres e números, e não mais retornou.  

Com o passar do tempo, as tarefas eram árduas, cada vez maior era sua responsabilidade na criação de seus irmãos, não encontrou uma brecha de tempo pra aprender nem que fosse em casa a ler. Até que um dia ela se apaixonou, se casou, teve quatro filhos, mesmo não sabendo ler os criou e os fez estudar. Morria de vergonha que alguém descobrisse a sua "burrice" (era assim que ela se auto-titulava) mas, fazia questão que seus filhos seguissem um caminho diferente do seu. Meu pai tentou ajudá-la, ensinou-a a escreve pelo ao menos o próprio nome. Com muita alegria ela conseguiu, mas não quis prosseguir, achava que já era o bastante. No entanto a vergonha de ser "descoberta" ainda a assombrava.

Os anos se passaram, ela se acomodou, disse que escola era lugar pra criança. Tentei ajudar, mas recusava-se aprender. Seu cérebro absorvia apenas imagens, novelas, filmes, afazeres domésticos... Ele não raciocinava, a mente não trabalhava, apenas comandava no trabalho braçal.

Foi quando ele chegou... Entrou na sua cabeça sem pedir licença. Foi lhe arrancando as memórias atuais, confundindo-a, brincando com ela, fazendo-a chorar com suas travessuras. Trocava nomes, não ajudava com as datas, trocava as cores, misturava ingredientes da comida, até a fez ter alucinações. 

Quando ela veio morar comigo, tive que recriar sua vida do passado distante, já que não sabia ler, tive que dar uma atividade pra ela se distrair e exercitar a mente. Surgiu a fase do bordado. Foi uma vitória, acalmou mais, alucinou menos, divertiu e distraiu.  Mas, não durou mais que 4 meses, pois ela já errava nos pontos dos bordados que fazia, perdeu o prazer e deixou de lado pra ficar olhando para o nada.

Resolvi tirá-la de casa, passear, apresentar meu mundo. De inicio foi bom conhecer novas pessoas, mas logo depois seu estado físico não lhe permitiu viver novas aventuras. Veio pra juntar-se ao Alzheimer, a trombose. Hoje ela mal consegue caminhar pelo quintal pra "aguar" as plantas, cansa e sente-se fraca voltando para o leito onde fica sentada assistindo TV, ou "olhando" para o nada ou para o passado nostálgico com pessoas que não estão presentes.

Porque eu contei essa "breve" historia  (era pra ser breve, juro que tentei) Porque esse projeto me deu uma grande ideia diante da nova etapa de minha mãe. Pensei, e se eu pudesse viajar com ela, na sua companhia, para o meu mundo dos sonhos, para as terras medievais, para o espaço, ou apresentá-la aos personagens mais cativantes e alegres que conheci. Quero contar-lhe histórias, quero ler pra ela, quero depositar em sua mente lindas historias de amor e superação e eletrizantes aventuras com magias e finais felizes. Mesmo que as histórias durem apenas alguns minutos em sua mente, ainda assim terei apresentado pra ela a melhor diversão do planeta. Os livros.

Sim, topei fazer parte desse projeto, apresentarei um vídeo mostrando suas reações diante da leitura em conjunto comigo. Não escolhi ainda o livro que lerei, mas farei com todo prazer e farei dessa nova fase um nosso hábito predileto.

Bjocas
Ni


Para mais informações do projeto acesse: http://www.diadelertododia.com/


Um comentário:

  1. Sua mãe deve ser uma pessoa muito feliz, apesar de tudo tem uma filha que ajuda e não a abandonou! Mal posso esperar para ver a reação dela diante de uma história!
    Parabéns pela atitude e espero que o projeto dê mais que certo <3

    Beijos, Kathleen
    sobreaminhaestante.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Vamos ficar super felizes com seu comentário.
Já estamos até sentindo sua falta!
Volte logo tá?
Bjão
Equipe Cia do Leitor