quinta-feira, 1 de junho de 2017

Resenha: As Tumbas de Atuan - de Ursula K. Le Guin

As Tumbas de Atuan
Ciclo Terramar - Livro 2

Ursula K. Le Guin
Editora Arqueiro
Sinopse: Quando Tenar é escolhida como suma sacerdotisa, tudo lhe é tirado: casa, família e até o nome. Com apenas 6 anos, ela passa a se chamar Arha e se torna guardiã das tenebrosas Tumbas de Atuan, um lugar sagrado para a obscura seita dos Inominados.
Já adolescente, quando está aprendendo os caminhos do labirinto subterrâneo que é seu domínio, ela se depara com Ged, um mago que veio roubar um dos maiores tesouros das Tumbas: o Anel de Erreth-Akbe.
Um homem que traz a luz para aquele local de eternas trevas, ele é um herege que não tem direito a misericórdia.
Porém, sua magia e sua simplicidade começam a abrir os olhos de Arha para uma realidade que ela nunca fora levada a perceber e agora lhe resta decidir que fim terá seu prisioneiro.
Finalista da Newbery Medal, que premia os melhores livros jovens de cada ano, As Tumbas de Atuan dá continuidade ao elogiado Ciclo Terramar com uma singela história que rompeu com os paradigmas de heroína quando foi lançada.
Resenha
Livro cedido de cortesia pela Editora Arqueiro para resenha.
Pouco tempo depois de nascer, foi determinado que Tenar era a Sacerdotisa Única das Tumbas de Atuan renascida. Isso porque ela nasceu na mesma noite em que a Sacerdotisa anterior morreu. Ficou determinado a partir de então toda a sua vida. Aos 5 anos foi arrancada de sua família e levada para reaprender o seu papel de Sacerdotisa. E desde que iniciou o seu treinamento, aquele limitado mundo dos templos, conhecido como Lugar, no meio de um deserto é tudo o que ela conhece. Quando tem 6 anos, seu nome lhe é retirado e ela passa a ser chamada de Arha, a devorada.
Ela não é nossa, nunca foi, desde que vieram aqui dizer que deve ser a Sacerdotisa das Tumbas.
Sua função como Sacerdotisa será dar continuidade ao culto aos Inominados, poderosos seres das trevas que já foram esquecidos na maior parte do mundo. Desta forma, Tenar será a única Sacerdotisa, do único templo que ainda existe para cultuar esses deuses. Ela ficará responsável por rituais, tanto danças quanto sacrifícios. É dela também o domínio das Tumbas de Atuan, território dos Inominados que guarda um grande tesouro e que somente ela, e a quem ela permitir, pode entrar. Sendo que, se um homem entrar nas Tumbas, ele não poderá sair. Ou seja, só mulheres e eunucos podem entrar e sair de lá. E ainda assim, se tiverem entrado com a permissão da Sacerdotisa, senão os invasores ficam sujeitos a fúria dos Inominados. As tumbas são na verdade um gigantesco labirinto, e como é domínio das trevas, em diversos lugares considerados não é permitido usar qualquer forma de luz.
Aonde quer que a levassem, o que quer que lhe mostrassem, ela não sentiria medo.
Nós acompanhamos a estória de Tenar desde criança, seguindo por seus anos de treinamento até chegar o momento em que ela começa a realmente atuar como Sacerdotisa, mas ainda uma adolescente. Seus dias se resumes aos seus deveres como Sacerdotisa e as suas explorações do labirinto. Os seus deverem já começam a pesar sobre ela, pois ela não sente prazer com os sacrifícios que são realizados sob suas ordens. Passar seu tempo vagando pelo escuro labirinto é uma forma de ela lidar com isso e ao mesmo tempo permite que ela memorize todos os caminhos do labirinto. E é justamente em uma dessas suas andanças nas trevas que ela se depara com um personagem que já conhecemos, Ged.
Aquele era o próprio lar das trevas, o centro mais interno da noite.
E é nesse momento que a vida de Tenar começa a mudar. Ela já tinha ouvido falar dos magos, é claro. Mas tudo o que escutou sobre ele foi distorcido de alguma forma. Ela deseja saber mais sobre eles. E é esse desejo que a impede de cumprir imediatamente o seu papel, de mandar sacrificar o invasor. Ela sabe que ele não poderá sair de lá com vida, mas ainda assim hesita em fazer valer o que seria o desejo de seus deuses.

Tenar acaba se colocando em uma situação complicada, ela fica completamente dividida. Ela não quer ser responsável por outra morte, mas também teme os Inominados. Mas ela em breve terá de decidir que rumo irá tomar, pois é só uma questão de tempo para que os Inominados percebam que Ged invadiu o domínio deles.

Assim como ocorreu no primeiro livro, As Tumbas de Atuan tem uma narrativa bem leve. Isso, somado ao fato do livro ser bem pequeno, acaba fazendo com que a estória seja devorada rapidamente. Nesse segundo livro Ged é só um coadjuvante, a personagem principal é a Tenar. A estória gira em torno da vida dela, do que ela nunca pode escolher e as escolhas que ela deverá fazer. É uma personagem que cresce rapidamente ao longo das páginas e evolui bastante, saindo de uma criança chatinha até uma jovem madura que começa a questionar tudo aquilo que conhece. Como a própria autora disse, na época em que o livro foi publicado existiam muitas poucas protagonistas femininas na literatura. O fato desse livro mostrar uma garota como personagem principal, sendo que ela é a grande heroína da estória, faz com que o livro seja bem feminista. Ele mostra como é preciso um equilíbrio, é determinante o trabalho conjunto de Tenar e Ged.
A maioria das coisas envelhece e perece com o contínuo passar dos séculos. Pouquíssimas são as coisas que continuam preciosas, ou as histórias que ainda são contadas.
O ponto fraco do livro, que me fez retirar uma estrela, foi a ausência de mais ação, por assim dizer. Isso não torna o livro monótono, até porque ele curto demais para que isso ocorra. Mas eu senti falta de um inimigo poderoso e mais situação de risco. Mas isso ocorre porque eu sou uma viciada em fantasia épica, daquelas séries que tem 12 livros cada um com mil páginas, hahaha. Então eu acabo caindo em uma abstinência de intrigas. Mas quando levamos em consideração a época em que o livro foi escrito, sem dúvidas essa série foi um grande marco para o gênero, uma série que quebrou muitas barreiras. Eu estou amando descobrir cada vez mais sobre esse universo maravilhoso.

A edição do livro também segue a linha do primeiro. A capa é uma representação perfeita e está linda. As páginas são amareladas e a fonte está em ótimo tamanho, que não cansa nenhum um pouco a vista durante a leitura. Dentro do livro, além do já tradicional mapa de Terramar, tem um mapa do Lugar das Tumbas de Atuan e do Labirinto.
A liberdade é um fardo pesado e uma carga enorme e estranha para o espírito carregar. Não é fácil. Não é um presente dado, mas uma escolha que se faz, e a escolha pode ser difícil.
Eu não tenho dúvidas em recomendar a leitura desse livro. Se você for fã do gênero, sem dúvidas você irá gostar de descobrir como essa série influenciou tantos outros autores de fantasia que tanto amamos. Se você não é muito chegado em fantasia, essa série é uma ótima maneira de começar a desbravar esse universo, afinal os livros são bem pequenos e a estória é encantadora. De uma forma ou de outra, essa série é uma ótima escolha de leitura.

Classificação



Sobre a autora

Ursula Kroeber Le Guin escreveu romances, ensaios, contos, poesia e literatura infantil, destacando-se na Fantasia e na Ficção Científica. Os seus primeiros trabalhos foram publicados em 1960 e, desde aí, as suas obras exploram, nomeadamente, aspectos do taoísmo, anarquismo, etnografia, feminismo, psicologia e sociologia.
O Ciclo de Terramar, composto por cinco narrativas e um livro de contos, e o romance A Mão Esquerda das Trevas, parte do Ciclo de Hainish, são as suas obras mais conhecidas.
Hoje em dia, é considerada uma das melhores autoras vivas do gênero.







19 comentários:

  1. cara Patrícia, estou com um livro de Ursula em minha estante há algum tempo - "a mão esquerda da escuridão". são tantas informações e todas elas dão conta do grande talento desta escritora. sua resenha só corrobora o que tantos outros afirmam - ela é incrível. vou me redimir o mais rápido que puder e a saga "ciclo terramar" já está em minha alça de mira. dica incrível!

    Rodolfo
    Ler para Divertir

    ResponderExcluir
  2. Oiii Patrícia tudo bem?
    Infelizmente dessa vez a obra não despertou meu interesse, mas fico feliz que tenha trazido a resenha para nós, quem sabe futuramente eu acabe me envolvendo e desejando ler, por ser de fantasia e aventura, no qual raramente leio, ótima resenha e essa capa está linda.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  3. hey, nao sabia sobre o livro, mas fiquei interessada por ele, a premissa parece ser mt boa e sua resenha me convenceu a pelo menos ja adicionei o livro na minha listinha de leitura
    eee esses pontos negativos n me pegoul, pq ate que eu n gosto mt de açao

    perolasdelivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Oiiie!

    Mesmo com suas resalvas, eu fiquei curiosa. Adoro o gênero! Dica anotada :)

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Eu tô louca por essa série, eu realmente não sei porque ainda não comprei. Acho esses livros de fantasia uma coisa maravilhosa, adoro leitora que exploram outros universos.

    http://laoliphant.com.br/

    ResponderExcluir
  6. oi tudo bem
    ja tinha visto a capa deste livros mais por nao saber do que se tratava não peguei para ler .
    mais agora vendo sua opinião sobre o segundo livro fiquei com vontade ler o primeiro pois parece
    ser um historia bem legal e diferente .

    ResponderExcluir
  7. Olá
    Apesar desse gênero não me atrair muito, eu achei essa premissa bem instigante e original, pois até então nao conhecia nenhum outro livro com uma história parecida. Achei bem interessante.
    Parabéns pela resenha

    Bjs

    http://blog-myselfhere.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Oi Paty!
    Nunca tinha ouvido falar da obra, mas achei super interessante o enredo... adoro fantasia e aventura! Também gosto bastante quando temos heroínas femininas, é isso aí, GIRL POWER ;)
    Dica super anotada! Bjuuuu

    http://thehouseofstorie.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Ahhh já estou seguindo o blog... segue o meu também para podermos continuar trocando dicas e experiências literárias ;)
    Bjuuu

    ResponderExcluir
  10. Olá!
    Para ser sincera até o momento não tinha o conhecimento dessa obra, mas sou apaixonada por narrativas de fantasia, na verdade são minhas favoritas, fiquei extremamente curiosa, parabéns.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  11. Eu já li o livro anterior e infelizmente não consegui me conectar com a escrita da autora, estava com esperanças de encontrar nesta sequência um motivo para me fazer continuar a leitura da história, porém o fato de não haver muita ação me deixa receosa, já que estou buscando algo mais movimentado no momento.

    ResponderExcluir
  12. Mais um livro que eu não conhecia. A sinopse e também sua resenha me deixaram curiosa. Parece uma ótima leitura. Vou buscar mais sobre ele e talvez adquira.

    bjs
    www.livrosdabeta.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  13. Acabei ficando meio desanimada com a série, pois achei o primeiro volume monótono e sem ação. Por mais que você diga que este não seja monótono, a falta de ação me deixa com um pé atrás.
    Bjs Rose

    ResponderExcluir
  14. Estou meio desatualizada ultimamente e nem vi o lançamento deste livro, porém não sei se leria, pois temos algo bastante em comum, adoro aquelas enormes coleções de 12 livro e grossos.

    Beijos

    ResponderExcluir
  15. Oi, Patricia!
    Eu até gosto de fantasia, mas acredito que o meu gosto e preferências de leitura acabou se modificando bastante, sempre li muito do gênero, mas ultimamente não são todos os livros de fantasia que conseguem me deixar curiosa ou instigada a ler. Esse possui uma trama legal, mas no momento acredito que não seria um livro que prenderia minha atenção até o final, mesmo assim não descarto a leitura; pode ser que me interesse um dia.

    Beijos,

    Rafa [ blog - Fascinada por Histórias]

    ResponderExcluir
  16. Oi. achei o livro bonitinho, cativante, juvenil. bem bacana para novos leitores, pois é o tipo de enredo que prende de cara. Isso não significa que não posso agradar outros públicos, mesmo com a ausência de mais ação, leria linda ^^

    ResponderExcluir
  17. Olá! Tenho bastante vontade de conhecer esse livro, é do gênero que eu gosto. A premissa é bem interessante, fiquei curiosa para saber se ela é realmente a sacerdotisa ou apenas uma coincidência. Mesmo com pouca ação. leria com certeza, beijos!

    ResponderExcluir
  18. Oi Patricia,
    Quero muito ler a trilogia Ciclo Terramar. Muitos livros de fantasias atuais são inspirados nas obras dessa autora. Penso ser obrigatório para qualquer fã de fantasia.
    Beijos,
    André || Garotos Perdidos

    ResponderExcluir
  19. Eu gosto muito mesmo de Fantasia, mas esse livro ainda não me atraiu o suficiente. Vou deixar a dica passar dessa vez ok?

    ResponderExcluir

Vamos ficar super felizes com seu comentário.
Já estamos até sentindo sua falta!
Volte logo tá?
Bjão
Equipe Cia do Leitor